Adventure Time e a sexualidade não-romantizada de seus personagens.

De uma coisa eu não tenho duvida. Existem poucos desenhos animados tão adultos quanto Adventure Time passando hoje em dia na televisão.

E isso não é por falta de animação para maiores de 18 que passam no [Adult Swim] ou no FX, mas é que pra mim, ser uma animação impropria para menores e ser adulta são coisas diferentes. Você vê o Peter Griffin fazer uma piada sobre vaginas, e isso é um tipo de piada que não contamos quando têm crianças na sala, mas que na verdade elas são as que mais se divertem com essas piadas. A molecada ama um bom sexo e violência como fonte de humor, em especial porque elas sabem que aquilo é algo que supostamente elas não podiam estar vendo. Se elas já sabem como o sexo funciona, elas entendem algumas referências não-tão-sutis que colocam nos filmes da Dreamworks, e dão aquela risada travessa de “hehehe, entendi algo que eu não devia.”

Espero que todos possam reconhecer o Meme, do contrário essa imagem fica estranhamente inapropriada.
Espero que todos possam reconhecer o Meme, do contrário essa imagem fica estranhamente inapropriada.

Dando um exemplo da minha experiência com South Park. Eu adorava South Park quando eu era criança, assistia toda semana no Multishow desde os dez anos de idade e rachava o bico com o Cartman xingando, o Kenny morrendo e os palavrões correndo soltos. Porém, conforme eu fui ficando mais velho eu fui revendo aqueles episódios e vi que eles consistiam de criticas sociais fortes, bom uso de subtexto e metáforas, e no geral, por trás do humor escatológico, possuía uma camada de humor mais inteligente e sutil que eu não notava.

SouthPark
Maomé ausente da imagem por motivos obvios.

E é exatamente essa a diferença. Aquele conteúdo que passa batido por uma criança de dez anos, mas que quando ela tem 16 ela reassiste e entende, esse é o real conteúdo adulto. Pois não é o que “a criança é jovem demais para ser exposta” e sim o que “a criança não tem experiência de vida o suficiente para entender realmente” que define o quão adulto é uma série ou filme. E isso é o que coloca Adventure Time em um patamar acima de qualquer Family Guy da vida.

Adventure Time aperfeiçoa a técnica, popular por seu uso em Harry Potter, na qual apresentamos o protagonista com 11 anos, e a cada temporada ele envelhece um ano, e a história amadurece com ele. Conforme ele entra na adolescência as histórias inocentes vão perdendo espaço para personagens morrendo, personagens tendo que lidar com o luto, responsabilidades, e romance.

Encontro de Finn com seu pai.
Encontro de Finn com seu pai.

Só que aproveitando que eu puxei a comparação com Harry Potter, eu ressalto. O romance de Harry Potter é um romance idealizado. Um cenário onde a grande maioria dos personagens encontrou o futuro marido ou futura esposa no colégio. Uma leve subversão em que “não foi no primeiro namoro, foi no segundo.” Mas ainda sim, super idealizado. Todos os filhos saíram de um casamento feliz e duradouro onde ninguém traiu ninguém.

O que não é ruim, é a escolha da autora que não quis abordar esse tipo de tema na obra. Ninguém é obrigado a querer. Ainda mais em obras com um público infantil forte. O interessante é que embora muitas sitcons mostrem os personagens com ficantes, one-night stands, gravidez não planejada e tudo o mais, obras ligadas ao público infantil contornam esses assuntos, e deixam tudo bem idealizado, que nem Harry Potter, para proteger as crianças desses assuntos. E é ai que Adventure Time brilha.

NakedLady
Reparem no quadro de mulher pelada que Finn e Jake possuem em sua casa.

            Adventure Time mostra seus personagens se relacionando sem nenhuma idealização. Personagens mordidos por causa de ex, sexo implícito, personagens com fetiches, sexo sem amor, amor sem sexo, a série mostra de tudo, e esse post vai listar quais são os momentos da série que deixam isso mais em evidência.

O RELACIONAMENTO ENTRE JAKE E LADY RAINICORN:

JakeRainicorn

Jake e a Lady Rainicorn (Lady Iris na dublagem nacional), namoram desde o primeiro episódio da série e sempre amaram muito um ao outro. Jake é muito importante para a Lady e a Lady é muito importante pro Jake. Muito fácil vê-los ficando juntos para sempre. Porém todos os fãs são surpreendidos quando na quarta temporada Lady revela pro Jake que está grávida, e a reação do Jake deixa bem clara o quão planejados foram os filhos.

ImPuppies

Após o susto da gravidez, eles continuam juntos, e continuam namorando. E quando os filhos nascem, Jake tenta fazer parte da vida deles até eles atingirem a fase adulta, e ama os filhos. E eles continuam namorando. Eles jamais se casam, mesmo após terem filhos em uma gravidez acidental. Finn questiona isso para Lady perguntando se Jake é marido dela ou não e ela responde que são somente namorados. Que conste nos livros de história da animação que Jake foi o primeiro personagem infantil a ter filhos acidentalmente sem casar.

Jake surpreso ao visitar Lady e descobrir que um dos filhos deles, TV, ainda mora com a mãe.
Jake surpreso ao visitar Lady e descobrir que um dos filhos deles, TV, ainda mora com a mãe.

Além disso, o casal deixa bem claro o quão gosta das intimidades um com o outro. Quando Finn está nervoso sobre estar prestes a dar o primeiro beijo, Jake explica para Finn como tudo vai dar certo e termina explicando todos as etapas da intimidade com uma mulher, dando o corpo da Lady como exemplo. E Lady por outro lado guarda fitas de vídeo eróticas que Jake filmou de si mesmo e deu pra ela.

Cena do vídeo privado que Lady Rainicorn guarda em sua casa.
Cena do vídeo privado que Lady Rainicorn guarda em sua casa.

Recentemente a série começou a abordar o fato de Jake ser bem ausente na vida dos filhos na fase adulta, mas ainda sim o amor que ele sente pelos filhos e pela namorada é inquestionável. Um casal espetacular.

OS RELACIONAMENTOS DE FINN:

FinnPhoebe

Finn começa a série com 11 anos. E sempre teve uma queda pela sua amiga, Princesa Bubblegum (Jujuba na dublagem nacional), de quem ele também é cavaleiro e jurou proteger ela e seu reino. A diferença enorme de idade entre eles (Bubblegum tem séculos de vida, mas Finn acredita que ela tem 18 anos), faz com que o amor do Finn seja bem unilateral e isso fez Finn partir para outros rumos. Na terceira temporada ele tinha 13 anos e conheceu a Flame Princess (Princesa Fogo), e a partir dai fica interessante.

Flame Princess gostava do Finn, e Finn gostava dela, e os dois namoraram por um tempo. Porém devido ao fato de que o corpo da Flame Princess queimava a carne de Finn, ele mal podia tocá-la, abraça-la sem alguns empecilhos, e certamente não podia beija-la. Mesmo desconsiderando isso, caso ele a beijasse, a excitação dela podia ser tão grande que o fogo que ela gera poderia se tornar uma catástrofe climática e destruir o mundo.

FinnKissRock FinnPassRock

Finn e Flame Princess improvisando uma maneira de beijar sem se tocar.
Finn e Flame Princess improvisando uma maneira de beijar sem se tocar.

Um monte de artifícios fantásticos para falar que o Finn, no começo de sua puberdade queria poder ter contato físico com sua namorada e não podia. A ideia de como lidar com intimidade, e com desejo sexual, e com querer mas sentir-se pressionado a não ter contato, é relativamente comum entre namorados que são jovens demais para fazerem essas coisas, mas já tem hormônios agindo.

O relacionamento de Finn com a Flame Princess terminou em um episódio estranhamente sexual, onde não só Finn tem um nada discreto sonho molhado com a Flame Princess (em que ela atirava rajadas de fogo na virilha de Finn e este sentia prazer), como esses sonhos eram resultado dele ter visto a namorada lutando. Existiram outras dicas, mas isso é um dos pontos onde fica mais claro que o Finn sente prazer com violência e com lutas. E nesse episódio ao ficar evidente que ele ficou excitado vendo a namorada praticar violência, nota-se que esse prazer é sexual. Enfim, para encurtar a história ele começa a manipular ela para fazê-la lutar de novo, acaba usando detalhes muito pessoais dela para manipulá-la, magoa ela pra caralho, age feito um babaca e leva um pé na bunda.

A expressão de FInn enquanto observa sua namorada lutar.
A expressão de FInn enquanto observa sua namorada lutar.

Ela já o perdoou, eles fizeram as pazes e voltaram a ser amigos, mas ele ainda não sabe lidar com isso e age feito um pateta perto dela querendo voltar. Normal.

Por ultimo, na sexta temporada, um Finn de 16 anos encontra seu pai, descobre que seu pai é o maior canalha do planeta. E na tentativa de não perder contato com o pai, ele acaba tendo seu braço arrancado e ainda sim não conseguiu se aproximar do velho escroto.

Finn se magoa, entra em depressão, e começa a lidar com sua depressão como? Pegando mulher. Ele resolve ir em festas e pegar as princesas de Ooo, casualmente, beijar na festa e não falar com elas de novo. Como maneira de esquecer da própria depressão.

Finn e Breezy
Finn e Breezy (a abelhinha)

A série retrata essa prática de Finn como decadente e como se o Finn tivesse no literal fundo do poço. Nesse processo ele faz com que uma abelha se apaixone por ele e sacrifique a própria juventude e liberdade de adolescente para virar uma adulta e ficar com ele. Mas ele não quer nada com a abelhinha, só quer pegar mulheres casualmente.

Finn e Breezy após ela se tornar rainha.
Finn e Breezy após ela se tornar rainha.

Essa vida depressiva do Finn sai pela culatra quando ele dando uns amassos na Lumpy Space Princess (Princesa Caroço), tenta fazer não passar do beijo, mas ela obriga ele a passar a noite na casa dela (sim, isso mesmo que vocês interpretaram), e pela reação do Finn não foi uma boa primeira noite passada com uma princesa. Ao acordar na casa da LSP ele viu a abelhinha cantando uma canção de amor para ele, mas ao invés de enxergar a abelhinha ele enxergou seu primeiro amor, Bubblegum. Lembrou-se de sua promessa de protegê-la e proteger seu reino, e saiu da depressão ao reencontrar sentido na vida.

FinnLSP

E ganhou seu braço de volta ao fazer essa epifania. Por motivos que eu não tenho certeza.

Enfim, nas ultimas seis temporadas, a vida sexual do Finn foi tema de vários episódios, e não só ele dormindo com a princesa mais desagradável de Ooo mesmo não querendo por pressão. Afinal, embora não sejam o ato per se, beijos e ficadas e amassos são atos sexuais e vários episódios foram trabalhados com Finn lidando com como isso fazia ele se sentir.

-Sabe, no meu mundo cobertores e travesseiros são coisas que usamos na cama. -Aqui também ;)
-Sabe, no meu mundo cobertores e travesseiros são coisas que usamos na cama.
-Aqui também 😉

E tudo de maneira bem não-romântica. Ele perdeu uma namorada por não saber lidar com seu fetiche por violência. E depois foi pegar meninas casualmente para escapar dos próprios problemas.

O RELACIONAMENTO DE BUBBLEGUM E MARCELINE:

BonnieMarcy

Particularmente polêmico esse, e um dos subtextos de Adventure Time que mais chamaram a atenção. As duas personagens, Princesa Bubblegum, e Marceline, a Rainha dos Vampiros, a partir do episódio What is Missing da terceira temporada, passaram a dar indícios que a relação delas era de ex-namoradas. Nada explicito, porém estava o suficiente lá.

Os motivos para isso foram elas terem passado o episódio inteiro dando alfinetadas sobre estarem brigadas. E Marceline cantando uma música sobre como apesar delas serem inconvenientes uma para a outra, ela ainda deseja fazer as pazes, mas não sente que a iniciativa deveria partir dela.

JustYourProblem

Ao final do episódio, Jake acha uma camiseta preta que uma das duas tinha perdido e assume que era a camiseta de Marceline e devolve pra ela, porém Bubblegum admite que a camiseta era dela, e era o item que ela mais valorizava dela. A camiseta que Bubblegum tanto amava na verdade era um presente da Marceline pra ela de antes delas brigarem. Marceline reclamou que nunca a viu usando, e Bubblegum revela que ela usa, para dormir.

Destaque para a foto das duas que Bubblegum mantém colada em seu armário.
Destaque para a foto das duas que Bubblegum mantém colada em seu armário.

O episódio não deixa claro se elas não eram somente amigas muito intimas no passado. Mas deu brechas o suficiente. Para começar porque Marceline costuma chamar Bubblegum pelo primeiro nome, que é Bonnibell, coisa que nenhum outro personagem na série faz.

Outro episódio, revela Marceline precisando da ajuda de Bubblegum para rastrear uma bruxa que possuía seu bichinho de pelúcia. O episódio abre com Bubblegum acordando após uma noite de sono usando a camiseta de Marceline. Ela acorda e cheira a camiseta sorrindo.

SmellingShirt Smiling

Ao longo do episódio ela descobre que o bichinho de pelúcia era o que Marceline possuía de mais valioso e por isso a bruxa o queria. Então ela decide ajudar a amiga fazendo uma troca e dar para a bruxa outro item com grande valor sentimental incluído nele. Ela dá a camiseta que ganhou de Marceline para a bruxa, e a bruxa reconhece que o sentimento contido na camiseta era maior do que o bichinho de pelúcia.

BonnieMarcyHambo

Porém o bichinho de pelúcia era um presente que Marceline ganhou da sua figura paterna na época em que ela era uma criança sem teto vagando pelos destroços do mundo, um período particularmente sofrido da sua vida em que um homem a protegeu esse tempo todo.

Como o amor da Bubblegum pela camiseta seria maior do que o amor da Marceline pelo bichinho? Não com mera amizade.

Depois a dubladora da Marceline, Olivia Olson, confirmou publicamente que elas namoraram no passado, falando que ouviu isso do próprio criador da série Pendleton Ward. Então, sim, duas das protagonistas da série já tiveram um romance lésbico no passado.

Tem mais exemplos isolados ao longo da série. Um episódio com a Tree Trunks uma idosa elefantinha querendo dar uns amassos em público com seu namorado o Sr. Porco, e ofendida que todos se enojem e exijam que ela se esconda para pegar o namorado. Ou o BMO e sua ausência de gênero sendo constantemente trabalhada na série. A série faz seus personagens se relacionarem romanticamente e sexualmente (embora evite explicitar o sexo), e não faz a menor questão de idealizar e fazer o amor vencer tudo para seu público.

Mãe de Tree Trunks e o Ex-marido de Tree Trunks durante o casamento de Tree Trunks.
Mãe de Tree Trunks e o Ex-marido de Tree Trunks durante o casamento de Tree Trunks.

Sendo esses somente exemplos de casos lidando com a sexualidade dos personagens. O espectro de temas retratados de maneira não infantilizada na série é imenso. Desde metáforas para Alzheimer e demência. Depressão. Luto pela morte de personagens. Até mesmo ambiguidade moral e os personagens refletindo sobre qual é a coisa moralmente correta a se fazer e não encontrando respostas claras.

Simon Petrikov e seu constante paralelo com o Alzheimer.
Simon Petrikov e seu constante paralelo com o Alzheimer.

Apesar de passar no horário nobre de um canal infantil, Adventure Time é TV-PG, que é um valor na censura americana que melhor traduziria no Brasil como “Para maiores de 12 anos”, então apesar de sua fachada inicial de ser um desenho fofo e louco e sem noção para crianças. Ele esconde um desenho denso e cheio de reflexões para um público um pouco mais velho.

E talvez seja esse o motivo pelo qual se tornou tão forte entre os adultos. Por não infantilizar a si mesmo em ordem se ser mais atrativo as crianças. Afinal, mesmo com todos esses temas que as crianças mal conseguem realmente entender, o sucesso da série com o público infantil é imenso. A série conseguiu o equilíbrio perfeito entre ter um bom apelo infantil em seu visual e entre seus personagens, e ter uma camada forte de temas adultos para dar profundidade à obra.

E isso é um atrativo para os adultos assistindo maior que qualquer piada de duplo sentido que Shrek faça em seus filmes.

61 thoughts on “Adventure Time e a sexualidade não-romantizada de seus personagens.

  1. Eu li o texto inteirinho e nem mesmo acompanho Adventure Time. Mas o que mais me chamou a atenção é o fato do Finn envelhecer com o desenho. Eu achei que era atemporal. Isso permite outras camadas pras historias, camadas mais sólidas. Vou prestar mais atenção a partir de agora =)

    Liked by 3 people

    1. É que aparentemente os desenho parecem ser totalmente aleatórios, mas a medida que você vai assistindo percebe que existe uma linha de tempo muito bem definida na série, isso contando Flash backs e futuros alternativos. É um aspecto interessante que se encontra em alguns sitcons, você pode assistir o primeiro ou o decimo quinto episódio casualmente e vai se sentir bem com o conteúdo dos episódios, mas se acompanhar de perto vai perceber alguns detalhes mais interessantes sobre a série.

      Liked by 1 person

    2. Esqueceram de comentar sobre a sexualidade frustrada e dos eventuais “crimes sexuais” do personagem mais tarado da série, o Rei Gelado… Que apesar de ter um amor platônico pela Princesa Jujuba, é o rei da casualidade sexual e dos relacionamentos “modernos”… émoticône grin

      Gostar

    3. eu acompanhava o desenho e sempre admirei isso. o fato de ter uma sequencia temporal abre muitas portas para o desenho. tem eps de algumas temporadas que você só compreende se assistir algum de uma temporada anterior, ou pelo menos você ganha um complemento, tornando mais fácil a compreensão.

      Gostar

    4. Passa despercebido porque o Cartoon não transmite na linha temporal do desenho (que tem uma historia paralela e sequencial ao do episódio), fazendo com que Hora de Aventura pareça sem nexo varias e varias vezes.

      Liked by 1 person

  2. Cara.. parabéns pelo site. Não comentei nada nos últimos 2 posts apesar de também tê-los lido mas esse daqui eu não poderia deixar passar… até porque conheci Adventure Time através da “quizzificação da série” e acho que preciso esclarecer contas!!!! Já Venture Bros conheci com vc mesmo… mas é outra história.

    Se existe alguma coisa que realmente me cativa nessas animações é a discreta maneira como temas tão pesados são abordados. Se são classificadas como infantis é porque mesmo os maiores “tabus” são tratados de modo tão implícito que qualquer espectador menos atento vai deixar passar.

    Mas acho que outros temas ainda mais pesados são tocados tais como:
    1 – Como nossas vidas podem ser arruinadas quando nos deixamos influenciar por objetos e como esses mesmos objetos podem alterar nossa percepção do mundo (Vide a Coroa do Ice King… e os episódios em que ele ainda é ou volta a ser Simon)!!!
    2 – Sobre a dualidade do ser humano (Lich King vira um Bebezão… o ser mais maligno e uma criança??? Será que já foi adulto?)
    3 – Todas as relações interpessoais… visto que não vejo NENHUM relacionamento pouco convencional além do de Finn e Jake.
    4 – Porque com a restituição após o “apocalipse nuclear” todos os governos são monarquias??? Porque só o Finn e outros poucos personagens podem transitar entre os reinos?

    Tantas outras que nem é possível escrever.

    Por fim… a série é realmente boa…
    Parabéns pelo post!!!

    Liked by 2 people

  3. Muito legal, realmente Adventure Time é único. Mesmo com vários desenhos que tentam fazer piadas em mais de um nível e sejam bons, tem um ritmo e uma leveza que não encontro em outras séries, como Regular Show.

    Liked by 1 person

  4. Olha, nunca tinha pensado em Hora de Aventura assim. Infelizmente, como assisto os episódios picados pela cartoon network, fica difícil saber a ordem da coisa toda, embora eu tenha conseguido assistir ao começo do relacionamento do Finn com a Princesa do Fogo, o da Dona Trompa com o Sr. Porco e o que a Jujuba fala da camiseta da Marceline. Realmente curioso. Vou tentar assistir aos episódios na ordem. Pensei que ele fosse atemporal e que o Finn ficasse sempre com a mesma idade. O_O

    Até mais

    Liked by 1 person

    1. Tem até a quarta temporada no Netflix, se não usou seu tempo trial lá esse é um bom motivo pra gastar 😉
      Tem tbm um site chamado Noitosfera que tem todos os episódios em ordem certa e são downloads pequenos (coisa de 100mb em média por episódio)

      Gostar

    1. De fato, não usei uma expressão muito feliz, pareceu que “mera amizade” era algo pejorativo. Falha minha. Porém ainda sim, Finn e Jake são mais que amigos, eles são irmãos.

      Tomarei mais cuidado nessas expressões.

      Gostar

  5. Holas. Eu fui atraido ao seu post, por um feed de um conhecido meu, atraves do facebook. Pois bem. Falando na materia.

    Eu acompanhei o Adventure Time por algum BOM tempo. Alias, revi tantos episodios, que meio que decorei o que acontece neles. Eu, na primeira ou nas duas vezes que vi o desenho, pensei que fosse muito vazio. Mas conforme prestei mais atencao em outros episodios, fui lentamente atraido pelos temas. Achei muito boa a materia!

    Liked by 1 person

  6. Ótimo texto! Só uma pequena correção porque foi um EP que vi recentemente. A P. Jujuba não cheira a camiseta ela seca a babinha que estava na boca ao acordar, já que imagino que são algumas dezenas de anos que ganhou aquela camiseta ela já tenha outro cheiro, mas sou eu pensando longe.

    Liked by 1 person

    1. Não tinha pensado na possibilidade dela estar limpando a boca. É uma boa interpretação. Agora estou achando que ela deve ter feito as duas coisas ao mesmo tempo.

      Mas de fato, muito improvável que aquela camiseta ainda tenha o cheiro da Marceline, com os anos deve ter passado. Bem observado.

      Gostar

  7. Querido autor, você deveria praticar mais o seu português. Fica escrevendo como se fosse em inglês aí acaba colocando pérolas dos pseudo-bilíngues como: “Jake.. …assume” você quis dizer “presume” ou “pressupõe”! Assume não é a mesmo coisa que ‘assuming’ em inglês, meu filho! Mas continue praticando! Texto bacaninha. Só que eu acho que no episódio da abelha, ela se apaixona especificamente pela flor do Finn não por ele.

    Liked by 1 person

    1. Querido Sassafras, quando assumimos a posição arrogante de criticar o português de outras pessoas, é bom termos o respaldo de um pleno domínio da língua.
      Em “(…) ela se apaixona especificamente pela flor do Finn não por ele (sic)”, você esqueceu uma vírgula.
      Você também deveria praticar mais o seu português.
      De resto, como diria um famoso poeta, boa opiniãozinha.

      Gostar

  8. Muito legal o texto,
    Faltou falar:
    Conde Lemongrab, esse tem a sexualidade mais explícita possível na série.
    Rei gelado como o cara mais frustrado.
    Cake e seu interesse pelo o cavalo preto do Marshal lee.
    A mão da Princesa Jujuba com o cotovelo de Jake. (A glitch is a glitch).
    Eu acho muito legal o relacionamento do cotovelo de jake com a mãeo
    Acho que os novos Cartoons Cartoons da Cartoon Network são sensacionais. Eu gosto muito das outra séries como Regular Show, Steven Universe, Uncle Grandpa….

    Liked by 1 person

  9. Olá
    Gostei do texto, me divirto com esse seriado e a muito já havia percebido que não era um mero desenho infantil.
    Tenho uma ressalva sobre a relação do Finn com a Abelhinha, não acredito que ela tenha se apaixonado especificamente pelo Finn mas sim pela flor que nasceu no lugar de seu braço decepado (o que faz todo sentido, essa relação abelhas e flores é bem antiga :p ).
    É tipo aquele lance, vou andar com vc por que vc é amigo da pessoa que eu gosto, e por causa disso ela fica adulta e usa um poder de rainha recém descoberto por ela para restituir o braço do Finn, assim ambos ficaram felizes, o Finn com o braço dele regenerado e ela termina o episódio pegando aquela florzinha tão apaixonante nas mãos.

    Liked by 1 person

    1. Na minha opinião a flor representava o orgão sexual masculino, tanto que no final do ep, quando ele vê a P.B. em vês da Breezy, a flor cresce e vira uma árvore gigante e depois explode, e a mão do Finn fica cheia de um líquido gosmento (seiva, mel ou algo parecido). Além dessa referência sexual existe tbm a parte em que a Breezy bebe o mel dos zangões e vira a rainha deles.

      Gostar

  10. Parabéns pelo texto!
    Adoro fritar no que não é tão explícito em desenhos também!
    Quanto à série, acho que tem sim esse lado sexual, sei que o que escreveu foca esse aspecto, mas para mim o lado conflituoso em relação à violência é tão legal quanto também! Nossa, é interessante demais vendo o Finn sair do “bater por diversão” para entrar no “bater por um motivo”… mas enfim, é outra discussão!
    Parabéns pelo post mais uma vez!

    Liked by 1 person

  11. O engraçado na série, fora toda essa forma implicita de tratar outros temas, é o universo que o autor conseguiu criar. O mundo de Ooo é uma terra depois de um apocalipse (ou alguns dependendo do ponto de vista) nuclearmágico. A primeira vista é só mais um desenho com personagens fantasiosos num mundo fantasioso, mas a medida que a série se desenvolve da pra ver uma conexão entre o passado e o presente, não só por que a origem do mundo e dos personagens (como o rei gelado, que era a figura paterna da marceline há 900 anos) mas pela organização do mundo com essas figuras fantasiosas. A união sovietica no lemongrado por exemplo. Enfim, muitas coisas que uma criança não perceberia por trás da fachada, que por sinal é boa suficiente para atrair todas essas crianças

    Liked by 1 person

    1. Uma pessoa que é travesti pode se identificar como mulher, assim como pode se considerar de um terceiro gênero (como se fosse a “mistura entre o masculino e feminino). Você utilizou “ou”, mas ser drag queen é completamente diferente de ser travesti, sendo que a primeira fala sobre uma arte perfomática e a segunda sobre identidade de gênero, sobre o que você realmente é. E só porque o Finn teve uma noite com uma travesti (se é que é o que a Princesa Caroço realmente é, porque tem muita gente que a considera uma pessoa trans não-binária) não siginifica que foi ruim. Cuidado com a transfobia. Falou.

      Liked by 1 person

  12. Olá!
    Gostei muito das considerações no seu texto. Obrigada por compartilhá-las conosco!
    Adoro Adventure Time principalmente por esse lado adulto e as muitas subleituras possíveis. E porque me faz rir, claro.
    Uma ressalva: Jake não é o primeiro personagem de animação infantil a ter filhos sem casar (episódio 6 da temporada 5, exibido em 2013). SPOILERS À FRENTE: em Ratatouille (Pixar, 2007), revela-se que o coprotagonista Alfredo Linguini é filho do chef de cozinha Auguste Gusteau com uma ex-namorada com a qual Gusteau nunca se casou. O próprio Linguini desconhece esse fato até a idade adulta, não tem nem o sobrenome do pai. Isso faz de Gusteau o primeiro personagem de animação infantil a ter um filho fora do casamento, até onde sei.

    Liked by 1 person

  13. Cara! Sempre acreditei que Adventure Time não fosse só mais um desenho infantil. Obrigado por revelar essas coisas 😀

    Agora, tem algo que ninguém comentou (não sei se é só da minha cabeça, mas vamos lá):
    Em um dos episódio, não me lembro bem, o Finn encontra um pacote com vários personagens em miniatura. Eles são vivos, e aparentemente vivem em outra realidade.
    Enfim, no final do episódio o Finn precisa conversa com o mini-Finn, e chacoalha ele diversas vezes em um movimento meio… ~masturbatório~ UAEUHEUAEHUE. Resumindo, o Finn pega ele mesmo e chacoalha… hã hã… sacou?

    Bom, não sei se só estou vendo coisas, mas sempre acreditei nessa interpretação pra essa cena do episódio.

    Liked by 1 person

  14. Ótimo texto! Sem dúvida é um dos melhores desenhos que existem, super diferente e profundo. Notavelmente corajoso até, por colocar tantas questões que infelizmente ainda são tabus.
    Além do que vc colocou, tem o fato de muitas cenas sugerirem temas sexuais que passam despercebidos pelas crianças, mas para nós adultos sempre trazem um pensamento… “há alguma coisa com os buracos destas árvores..” uehuehue.

    Liked by 2 people

  15. Esqueceram de comentar sobre a sexualidade frustrada e dos eventuais “crimes sexuais” do personagem mais tarado da série, o Rei Gelado… Que apesar de ter um amor platônico pela Princesa Jujuba, é o rei da casualidade sexual e dos relacionamentos “modernos”…

    Gostar

  16. Cara, muito bom seu texto, acabei de ler o do Rei Leão e também gostei muito. O BMO como um personagem não-binário daria bastante assunto pra um novo texto, hein? 😛 Queria só fazer uma crítica construtiva, se me permite, que me ajuda bastante quando eu tento escrever alguma coisa: dá uma revisada nos teus textos ou pede pra alguém ler antes de postá-los, vai ajudar a corrigir uns errinhos que aparecem aqui e acolá. Abração e parabéns pelo blog!

    Liked by 1 person

  17. Tem algumas coisas que eu não concordo. HAHAHA
    Lumpy space princess não é desagradável. É a mais badass de todas as princesas de Ooo.
    O criador da serie já declarou que a mulher no quadro não está pelada.
    Também acho que a abelha não se apaixona por Finn, e sim pela florzinha que nasceu no braço dele.
    A censura nos USA é maior que 12 se não me engano é 14. 12 anos é para o BR, e os eps são muito censurados.
    A serie é incrível. O texto também. T+

    Liked by 1 person

  18. Cara, incrível texto.
    Os fatos não são novidade pra mim, mas é bom ver uma reflexão sincera sobre o assunto. Meu desenho favorito, principalmente por esses motivos explicitados no seu post.

    Liked by 1 person

  19. “Mas ainda sim, super idealizado.”
    “… mas ainda sim o amor que ele sente pelos filhos e pela namorada é inquestionável.”
    “… e ainda sim não conseguiu se aproximar do velho escroto.”
    A forma correto é “ainda assim” e não “ainda sim”. Cada vez mais vejo essa expressão usada de forma errada.

    Liked by 1 person

  20. Lembra do suéter rosa cheeeeeeeeeeio de amor q a Princesa Jujuba dá ao Finn para ele derrotar o Lich? Tricotado para a Marceline! Ele era enorme demais para o Finn de 11 anos.
    Lembra quando a Marceline aparece do nada na casa do Finn e do Jake? Provavelmente foi quando a Jujuba e Marceline romperam e ela precisou sair do castelo doce e voltar pra casa, ainda aproveitou para atormentar a ex enchendo o saco do brinquedinho dela.
    Alem de que a Jujuba não era nada alem de gosma rosa, até copiar a forma humana da Marceline, vamos descobrir qual a ligação da Jujuba com o Lich e o fim do mundo da guerra dos cogumelos, possivelmente ela causou a guerra dos cogumelos.para extinguir os humanos. Não é difícil q ela seja a vilã final, ela extinguiu a cruel humanidade para criar essa sociedade utópica de doces fofinhos e bonzinhos felizes e mantém o Finn como experimento.

    Liked by 1 person

  21. Li o texto, gostei muito! A unica coisa eh que as pessoas ainda acham que desenhos para criancas sao feitos por criancas ou magicamente colocam a cabeça de crianca em si. Claro que sempre serao adultos. Desenhos animados aao adultos dizendo as crianças coisas que eles acham importantes de uma forma que elas possam entender. Ou seja, de uma forma divertida e pouco massante. Pq adulto eh massante. Dai que dizer que hp ou advetime é adulto é bobo, parece que a sociedade se i fantilizou ao ponto de nao conseguir pensar em relacoes e temas “fortes” de uma maneira profunda. Como se algo infantil nao pudesse ser profundo e como se algo adulto fosse sempre edificante. Temos que distiguir entre infantil e adulto e entre raso e profundo. Coisas infantis nao sao rasas. Nem coisas adultas sao sempre profundas, novelas da globo estao ai para mostrar isso.

    Liked by 1 person

  22. Oii, tenho 14 anos, e sei que o desenho é assim, notei tudo isso e tal, eu assisto em inglês legendado e o que passa na TV cenas são cortadas, porq eu assisto num site muito bom, vi que foi confirmado a 8 temp de Adventure Time e gostei muito.

    Liked by 1 person

  23. quanto ao quadro(da casa da arvore) eu ja tinha visto e eu me perguntava com é que deixam crianças verem aquilo

    eu sou de Moçambique i assisto Hora de aventuras (Adventure Time )na versão portuguesa , e dizer que gostei do artigo

    Liked by 1 person

  24. Bela análise do desenho, e como dito, adultos atentos conseguem realmente perceber temas difíceis da sociedade. É um desenho muito interessante e complicado, que nos deixa mais curioso a cada temporada. Lembro que fiquei muito confuso em um episódio da 7 temporada quando Finn adiquiri “olhos de eremita” e transforma tudo que ver em como realmente “enxerga” cada personagem. E a princesa Jujuba se transforma em menino, então ele gosta dela vendo-a como garoto, ou apenas sabe da sexualidade dela? Enfim … Rs

    Liked by 1 person

  25. Primeira postagem séria e interessante que vejo na net sobre Adventure Time! Gosto quando eles tocam nas feridas dos personagens principais. Quando Finn perde, enfim, o braço, por causa do pai biológico ausente; a minissérie Stakes, contando mais sobre minha querida Marceline; e todos os episódios em que a Jujuba tenta uma nova invenção ou falha em algo pelo bem de seus súditos, se mostrando, muitas vezes, como uma tirana. Esse episodio do Fiin chutando o balde, “Brezzy’, eu já assisti tanto que já sei até decorado. Vejo tudo na Noitosfera Fansub, pois o Cartoon BR censura MUITA coisa. Enfim, tô quase com 29 anos, vou morrer assistindo “desenho”!

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s