Gravity Falls: Não confie em ninguém? De verdade?

Vamos lá pessoal, já estamos em março e o que rolou nesse ano até agora? Tivemos um Oscar, mas Oscar tem todo ano, um monte de série ganhou temporada nova, a Marvel Fox Marvel (na verdade foi a Fox) fez um filme de herói para maiores de 18 que foi um grande sucesso… ah sim e Gravity Falls acabou.

SeriesFinale

Recentemente, nós estamos vivendo uma fase muito boa de desenhos animados, onde eles estão muito mais populares do que eram. Claro sempre existiram nerds que acompanham todos os desenhos animados e acham foda, eu existo faz décadas e sempre tive com quem conversar na internet. Mas de 2010 pra cá eles estão simplesmente mais populares. Fansubs focados em desenhos americanos começaram a pipocar… você já tinha ouvido falar nesse conceito? Pois é, nem eu. Aquele papo de “O Cartoon Network morreu em 2004.” começou a diminuir e pessoas criaram o hábito de acompanhar desenhos animados… sabem? Assistir em ordem, conforme vai saindo nos Estados Unidos, que nem a gente faz com série normal, ao invés de se submeter a tosqueira fora de ordem que o Cartoon Network nos oferece.

Pois é. 2010 foi o ano em que estrearam ao mesmo tempo Adventure Time, Regular Show, e My Little Pony – Friendship is Magic, e cada um por seus motivos, esses desenho viraram ouro na internet, tiveram uma popularidade absurda que permitiu que outros desenhos animados brilhantes estreassem, como Steven Universe, Bee and Puppycat e Gravity Falls.

GravityFalls

E dessa leva boa de desenhos bons atuais, Gravity Falls é o primeiro a acabar. E não por pressão da Disney nem por problemas de audiência, muito pelo contrário, o desenho é grande, e só acabou porque… por que chegou ao final e o autor, Alex Hirsch, não quis estender a história.

O que é o jeito mais certo de se terminar uma série. Quando o autor quer e não quando começa a dar menos dinheiro. Gravity Falls tinha um grande evento que deveria ser impedido desde o começo, e quando ele foi impedido, não tinha mais porque alongar, foi o final da série e foi um final muito bom por sinal, excelente em amarrar arcos de diversos personagens secundários.

McGucket
Gosto em particular de ver o McGucket se dar bem no final. Eis um cara que merece.

Gravity Falls é a história de dois irmãos gêmeos, Dipper Pines e Mabel Pines, que foram enviados para passar as férias de verão com seu Tio-Avô, Stan Pines, um golpista ganancioso que mora em uma cidade chamada Gravity Falls e usa a reputação misteriosa e sobrenatural da cidade para vender tralha pra turistas. Nessa cidade Dipper descobre um diário que descreve a qual é a real relação que a cidade tem com o sobrenatural e como ela está cercada de mistérios e no diário ele vê a seguinte frase escrita “Não confie em ninguém!”.

Whostheauthor
E descobrir quem é o autor do dos diários e quais dos habitantes da cidade estão envolvidos nas conspirações são algumas das perguntas que o expectador é convidado a desvendar junto dos protagonistas.

A série nos mostra os três meses em que os irmãos passaram com Stan, investigando o sobrenatural, mas também fazendo amigos e se tornando parte da comunidade de Gravity Falls e seus excêntricos e carismáticos habitantes. Eventualmente eles desvendam a maioria dos mistérios da cidade, conhecem melhor as criaturas estranhas que habitam a região, conhecem o autor do diário e no fim todos se unem para derrotar um demônio interdimensional chamado Bill Cipher.

Interdimensional

E é esse o foco que eu quero dar nesse texto. Sobre como no primeiro episódio da série somos apresentados com a frase “não confie em ninguém.” que é repetida diversas vezes ao longo da série, por mais de um personagem, pois naturalmente o clima de paranormalidade da cidade deixa as pessoas paranoicas, mas ao final Bill Cipher foi derrotado, pois todos foram capazes de confiar em todos, foi uma verdadeira união de todos os personagens da série.

A própria série desafiava o expectador a desconfiar de todo mundo e procurar por conspirações e maldades em todo lugar. Ao final de cada episódio, um código aparecia nos créditos, e para os fãs que se davam ao trabalho de traduzi-los, apareciam coisas como “Procurem o Olho Cego.” ou “Ele ainda está nos tubos de vento.” ou mesmo “Stan não é o que parece.”… claro, apareciam umas nonsenses também como “Carla, por que você não liga pra mim?”, mas muitos dos textos davam pistas sobre os mistérios da série e suas conspirações, convidando seu público a desconfiar de tudo. Ao menos os fãs da internet, que são justamente os que se divertem com essas coisas.

Cryptograms
Imagens como essa costumavam aparecer por poucos frames no fim dos episódios, desafiando nerds da internet a decifrar a imagem.

E não foi só na reta final que a série pegou o tema do “desconfie de todos” e trabalhou, foi algo conduzido durante a série inteira.

Naoconfieemninguem

O grande vilão da série é Bill Cipher, ele se chama Bill, pois bill é a palavra em inglês para “nota”(no sentido de nota de dinheiro), e o design dele é inspirado naquela bizarra pirâmide com um olho que vemos nas notas de dólar que é tão bizarra que se tornou símbolo dos Illuminati.

Olho
Pra que ter coisa bizarra no dinheiro?

Graças a deus eu não tenho uns desenhos dessas bizarrices na minha carteira. Isso que eu gosto no dinheiro brasileiro.

Enfim, seu nome também pode ser interpretado como uma mistura entre Bill Zebub e Louis Cypher, nomes que o diabo costuma adotar em obras de ficção. E o poder de Bill depende muito de ele conseguir fazer acordos com pessoas explorando seus desejos para tirar vantagem, tal como o diabo faria. Em outras palavras, Bill Cipher é o diabo, ou ao menos o equivalente ao diabo naquele mundo, e ele depende da confiança das pessoas para agir, ele é um golpista cuzão. Claro que com ele no mundo, não se deve confiar em ninguém, quem sabe quem Bill não manipulará?

LouisCypher
Louis Cypher, o diabo em pessoa.

Mas a série tem outros antagonistas menores, dentre os habitantes da própria Gravity Falls. Não são exatamente pessoas malignas, mas figuras antagonistas que tornam a vida de Dipper e Mable pior. Como Robbie, por exemplo, que namora Wendy, a garota de quem Dipper gosta. Ou Pacifica, a patricinha rica que desnecessariamente age feito uma escrota com Wendy. Ou Gideon, que na verdade é sim uma pessoa maligna e psicótica. Porém ao longo das duas temporadas em que nos aprofundamos mais na cidade de Gravity Falls, nos aprofundamos melhor no que os torna os cuzões que eles são, quais são suas qualidades redentivas, tudo planejado para que no final os três pudessem desempenhar sua parte para derrotar Bill Cipher.

PacificaNorthwest
Pacifica Northwest é a que faz a melhor combinação na série entre vilania e pontos de redenção, que fez a sua transição entre os pontos ser uma das partes legais da série.

E os três ajudam. Pois ao final nenhum dos três é um vilão. Embora o psicopatinha do Gideon tenha tido sua redenção somente na última hora. Os três eram de confiança.

Gideon
Redenção de Gideon foi de ultima hora, mas talvez tenha sido a mais vital, uma vez que diferente de Robbie e Pacifica, ele genuinamente tinha uma má índole.

Da mesma maneira, os monstros e criaturas de Gravity Falls muitas vezes se tornam muito menos malevolentes do que descrito nos diários que Dipper lia. E embora tenham sido antagonistas em um ou outro episódio, muitas vezes retornava como uma força aliada para ajudar os gêmeos ou a cidade. Principalmente no grand-finale. Ah, esses são os bons finais, onde todo mundo volta.

Resistance
Unicornios, Gnomos, Minotauros e homens, unidos contra o mal de Bill Cipher.

Outro exemplo foi com a Sociedade do Olho Cego, um culto que apagava as memórias de todos os habitantes de Gravity Falls, para que eles não lembrem que vivem em uma cidade sobrenatural. Eles fizeram isso tantas vezes com o caipira da cidade, Mc Gucket, que ele chegou em um estado de insanidade permanente, por danos cerebrais.

BlindEyeSociety
Olha que culto visivelmente do mal.

Parecem bem maus, certo? Ao final foi revelado que eles eram todos habitantes já conhecidos pelo público de Gravity Falls, e que eles estavam tentando proteger a cidade de terem que lidar com o stress de viver em uma cidade paranormal, sem uma má intenção, inclusive, eles apagavam as próprias memórias o tempo todo, e Dipper e Mabel ficaram com a máquina de apagar memórias para eles, para usar, então nem mesmo a máquina saiu com repercussões negativas.

BlindEye
Exceto por esse cara no meio, todos são personagens regulares da série que já apareceram antes e seguem aparecendo após esse episódio.

E o Mc Gucket? Oras, ele foi quem fundou a Sociedade, justamente para ter a memória apagada. Mais um caso de um antagonista, que parecia uma força do mal, mas no fim não foi.

Filliburt
McGucket causou a própria ruína, não foi vítima de um vilão per se.

E não é só com eles que a confiança dos gêmeos foi testada. Além das muitas vezes que os irmãos tiveram que confiar um no outro para sobreviver (um grande exemplo de situação onde ambos tiveram que simplesmente confiar no outro, foi o próprio primeiro episódio, que tinha a missão-de-primeiro-episódio de estabelecer o clima da série), uma das mais centrais foi quando eles tiveram que confiar em Stan.

StanPines

Stan é tio-avô de Dipper e Mable, e eles amam Stan, mas eles sabem que o velho não presta. Ele é um enganador, um golpista, um trapaceiro, um enganador, e as vezes ele é até claramente um ladrão. Procurado pela polícia em diversos estados do país, e mesmo assim, no fundo ele tem um coração de mole, e sempre acha um tempo para deixar de ser um grande filho da puta para cuidar das crianças.

Pois bem, esse diário que o Dipper tinha era o número 3 de uma série de diários, acontece que Gideon tinha o número 2 e Stan possuía o número 1. Então quando Gideon foi derrotado e posto na cadeia no épico final da primeira temporada, Dipper confiscou o diário de Gideon, e Stan confiscou os dois diários de Dipper e revelou para a audiência que em segredo ele estava atrás dos diários para construir uma máquina misteriosa

Diarios
Os três diarios que Stan juntou em segredo e o código entre eles para construção de um portal interdimensional.

Como Dipper eventualmente recupera o diário número 3, ele não nota que Stan está tramando algo, até ser tarde demais, o FBI descobre que Stan está por trás de algo grande e os gêmeos percebem que Stan escondeu muito de sua vida das crianças desde sempre. Elas descobrem a máquina que Stan estava construindo pelas costas deles quando estava prestes a ser ativada, e decidiram que Stan era um vilão, um mentiroso e que eles iam desligar aquela máquina obviamente maligna e impedir o que quer que o velho estivesse planejando.

Mas então Stan implora que Dipper confie nele. Dipper não confia, ele estava puto, tinha certeza de que seu tio-avô estava só manipulando ele da mesma maneira que manipula todo mundo, afinal Dipper é um paranoico que passou a série inteira afundado nos escritos que continham “não confie em ninguém.”

Mas Mabel confia em Stan e permite que a máquina seja ligada e cumpra seu nefasto objetivo.

ITrustYou
“Tio Stan… eu confio em você.”

Mabel sempre foi muito mais emocional para contrastar seu gêmeo racional.

Enfim, com Mabel ligando a máquina, descobrimos o objetivo de Stan, que era resgatar o seu irmão, que era o autor dos diários, perdido em outra dimensão por 30 anos. E resgatá-lo era o grande objetivo de Stan durante todas essas décadas. E Stan embora seja um canalha, o que ele fazia em segredo com os diários era uma coisa boa, mas para resgate ser um sucesso, os gêmeos tinham que confiar em Stan.

FanartTrust
Ou podemos simplesmente resumir tudo isso nessa fanart feita por xooxu

E quanto a esse irmão secreto de Stan? Bom o nome ele é Ford (Stanford, na verdade, mas como o outro é Stanley, a série encurtou para Stan e Ford), e ele e Stan são gêmeos, que nem Dipper e Mable são. Os dois já foram irmãos inseparáveis e aventureiros que nem os protagonistas do desenho, porém o fato de que Ford era extremamente inteligente e Stan era um bruto que não era muito inteligente, fez com que o destino traçasse caminhos separados para os dois.

Mais especificamente, Ford ia ser aceito em uma faculdade muito prestigiada aonde Stan não poderia acompanhá-lo. Porém, isso não acontece, pois Stan acidentalmente quebra o projeto de Ford que ia permitir que ele fosse para essa faculdade.

acidente
Completamente acidental.

Stan não quebrou por maldade ou por raiva, foi um genuíno acidente, mas que o contexto fez com que Ford interpretasse essa maldade e essa raiva. Stan tentou se justificar, mas Ford não confiou em seu irmão e cortou relações.

Brigaentreirmaos
A briga entre Stan e Ford.

Além disso, os pais dos gêmeos, que contavam na carreira de Ford para enriquecerem as custas do filho, expulsaram Stan de casa, falando que depois de sabotar o irmão ele só poderia voltar depois de fazer uma fortuna. As tentativas de fazer uma fortuna em pouco tempo e voltar para casa, moldaram Stan no golpista muquirana que ele se tornou.

Os gêmeos inseparáveis cortaram completamente o contato e traçaram caminhos distintos, Ford se mudou para Gravity Falls para estudar as anomalias na cidade, e graças ao seu contato com Bill Cipher, se tornou um paranoico. Após esconder dois de seus diários, ele retomou contato com Stan, na esperança de que seu gêmeo ficasse com o terceiro e o levasse para longe da cidade. Mas Stan ficou foi bem puto. Bem puto de saber que Ford não tinha interesse em fazer as pazes, mas chamou ele da puta que o pariu para pedir um favor, porém sem nem tentar se reconciliar. E com isso, eles brigaram, e acidentalmente ativaram um grande portal interdimensional que sugou Ford. E desde então Stan não saiu da cidade, vivendo com a culpa e tentando resgatar o irmão.

DoisStans
Durante a briga, Ford acidentalmente cai em um portal para outra dimensão.

Agora falemos um pouco sobre Ford, que escreveu os diários e construiu o portal.

Ford era um paranoico, com dificuldades em confiar em pessoas, e esse se tornou o seu maior defeito. Ele demora muito para se abrir com sua família a respeito dos perigos de Bill Cipher, e impede que eles sejam capazes de ajudar Ford em diversos momentos, além do seu orgulho impedir que ele e Stan façam as pazes e voltem a trabalhar em equipe, pois Ford simplesmente não confia em Stan.

Brigados
30 anos depois, Ford ainda guarda o rancor por Stan pelo projeto de ciência e o condena por ter aberto um portal perigoso, independente do motivo que ele tinha. Isso impede que ele confie em seu gêmeo.

A não confiança de Ford nos demais foi herdada por Dipper e Gideon, duas pessoas que já portaram o diário. Ironicamente, ao longo da série Ford, Dipper e Gideon, os três aceitam um pacto com Bill Cipher, pois Bill Cipher é um mestre na enganação, digno do próprio diabo, ele é um mestre em fazer pactos que saem pela culatra. No final, Ford admite para Stan, que Stan, justamente por ser um golpista também, perceberia a lábia de Bill e não cairia nas ciladas dele.

DipperBillFordBill

GideonBillCipher
O grande segredo dos poderes de Bill Cipher, é que o maior poder dele (entrar na mente de uma pessoa, explorá-la e controlá-la, só pode ser ativado se ele aperta a mão da pessoa em si).

Stan é o único a possuir um dos diários que em nenhum momento fez um acordo com Bill para conseguir o que ele queria. E isso é justamente porque Stan é o oposto de um paranoico. Ele é um apostador, um cara que segue seus instintos, e que confia no seu julgamento de caráter dos outros. Ele sabia que o Gideon era uma grande cilada anos antes dele se revelar um psicopata. Claro, ele nem sempre está certo, mas no fim, foi ele, quem conseguiu vencer Bill. Aplicou um golpe no maior golpista do universo, e eliminou o maior mal do mundo, sem precisar do mantra de “não confie em ninguém.”

StanmataBill
Eventualmente Stan aprisiona Bill em sua própria mente e mata Bill, mas em troca, ele perde suas memórias e sua identidade.

Claro que ele meio que se sacrifica matando Bill, em um processo que só é reversível graças a magia-da-Disney. Se quiserem estender a moral, dá para dar uma forçada dizer que ele confiou que Ford seria capaz de trazê-lo de volta após a morte de Bill, mas eu não acredito nisso, acho que é só uma forçada mesmo, pois isso é pra criança. 

O importante é que o autossacrifício de Stan não era a única maneira de derrotar Bill, tinha outra maneira possível que é unindo 10 pessoas que possam representar os símbolos da Roda de Bill Cipher. Supostamente essa era a maneira correta de derrotá-lo e eles quase conseguem, se não fosse pela briga de Stan e Ford. Mas o importante é que, olhem as dez pessoas que formaram a roda que derrotaria Bill Cipher.

MaosDadas
A Roda de Bill Cipher, se dez pessoas que simbolizem os elementos do círculo derem as mãos, eles podem derrotar Bill. Notem como Pacifica, Robbie e Gideon estão entre essas dez pessoas.

Gideon e Robbie e Pacifica estão na roda, todos os três antagonistas da série, a maneira correta de derrotar Bill Cipher era fazendo as pazes com seus inimigos, bem diferente de não confiar em ninguém e desconfiar até dos mais íntimos, o caminho era o oposto, era confiar justamente em seus rivais.

E é assim que acaba um dos grandes desenhos com conspirações, mistérios, e códigos escondidos da década.

Um final muito digno. Será uma série que deixará saudades, mas eu acho que genuinamente não sobrou nada para ser contado com esses personagens.

Goodbye.png

Não que eu vá reclamar se sair um episódio especial de “epilogo” mostrando os gêmeos voltando pra Gravity Falls no verão seguinte. Longe disso. Quem eu? Mas eu fico satisfeito, por um lado Gravity Falls foi o primeiro dessa leva foda dos anos 2010 a acabar, por outro lado isso também faz da série a primeira a estar completa.

As vezes eu tenho medo de que Adventure Time dure mais do que tem que durar e vire The Simpsons

Anúncios

8 thoughts on “Gravity Falls: Não confie em ninguém? De verdade?

  1. Estava louca pra que você falasse de GF! Muito obrigada por realizar isso e sua leitura foi maravilhosa! Apenas acrescentando minha opinião aleatória, A Tale of Two Stans é o episódio de um “desenho para crianças” mais completos e bem construídos que eu assisti nos últimos tempos. Explicar comportamentos atuais de personagens, construir uma linha histórica para o programa e explicar e exemplificar a complexidade das relações fraternais/familiares em 20 minutos de episódio não é pra qualquer um (fora que isso me leva às lágrimas hahaha). Mas muito obrigada, cara, adoro teu trabalho!

    Liked by 1 person

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s