Hunter X Hunter: Chimera Ants – O que faz do ser humano um ser humano?

Essa semana foi uma semana muito feliz para os fãs de mangás, pois após o maior hiato de uma existência marcada por inúmeros hiatos, o mangá Hunter X Hunter novamente retornará a ser publicado semanalmente pela Shonen Jump, (isso é, até o próximo hiato) e dará continuidade ao arco da Expedição pelo Continente Negro. E bem, enquanto esse arco atual está se construindo para ser o arco mais ambicioso e complexo do mangá, vamos falar do arco concluído que já é o mais ambicioso e complexo do mangá, que é o arco das Chimera Ants.ChimeraAntsSaga

Chimera Ants é uma fase do mangá que sempre me passou a impressão de que o autor, Yochihiro Togashi, teve essa ideia de uma história super foda para refletir sobre a espécie humana, e simplesmente adaptou os personagens da série para essa história toda, para não ter que parar com Hunter X Hunter. O arco narra o surgimento, ascensão e queda de uma espécie de animal chamada chimera ants e o foco nela é muito maior que o foco nos protagonistas cuja interação com essa espécie é superficial.

E eu nem me importo com isso, pois o resultado final é de tirar o chapéu, é o motivo pelo qual eu considero Hunter X Hunter como o melhor shonen da atualidade e não ligo de ficar um ano esperando por capítulos novos, pois eu sei que virão com qualidade.

Tudo começa quando somos apresentados ao conceito das chimera ants. São formigas, carnívoras, que tem em suas crias híbridos das espécies que eles comeram, então se a formiga come um besouro as crias da formiga vão ser formigas com a aparência de um besouro. E essa formiga-besouro vai poder comer outras espécies e ter filhos híbridos de outros animais e por aí vai. É um método de reprodução exclusivo dessa espécie chamado phagogenese, que torna esse um animal extremamente perigoso.

PrimeirasChimeraAnts
Por terem sua forma híbrida com outras espécies, elas não precisam se parecer com formigas, literalmente.

Embora todo o universo de Hunter X Hunter reconheça o perigo dessa espécie e a necessidade de quarentena sempre que uma é vista, nunca havia sido documentado um crescimento físico das formas híbridas maiores do que o tamanho de um inseto normal, com a maior formiga-rainha documentada tendo dez centímetros. A história começa com o aparecimento de uma formiga-rainha de dois metros, que por conta do tamanho, pela primeira vez na história do mundo se alimentou de um ser humano.

As primeiras presas da formiga-rainha são duas crianças, chamadas Colt e Reina, elas foram pegas de surpresa por uma formiga-soldado, mortas, e dadas de comer para a formiga-rainha que percebe que aquela comida tinha algo em especial e passou a desejar mais daquela comida. E isso abriu uma imensa caixa de Pandora.

ColtReina
Colt e Reina prestes a serem capturados por uma formiga.

Embora a rainha nunca tenha sido irracional, ela não fazia pensamentos muito complexos que saíssem de seus instintos básicos de comer e dar a luz a uma colônia, porém as formigas que nasceram após ela começar a se alimentar de humanos (que chamamos de formigas por formalidade, são mais híbridos entre humanos e diversas outras especieis animais), nasceram com inteligência, capazes de falar e desejo por individualidade. O primeiro sinal da crescente individualidade foi o desejo desses primeiros soldados nascidos da rainha de adotar nomes próprios, algo que nunca tinha acontecido antes com as chimera ants.

FormigasChimera
“Que criaturas estranhas. Eles expressam a opinião pessoal para conseguir algo insignificante como um nome. É interessante que eles trabalhem duro pelo bem da própria espécie, e ainda sim, considerem um assunto tão pessoal como igualmente importante.” Foi o que pensou a rainha após eles pedirem nomes.

Enfim. A Rainha das Chimera Ants não era híbrida com humanos, não possuía essa identidade, nem o dom da fala (ela se comunicava com as formigas-soldado por ondas mentais), e era motivada unicamente por seus instintos. Que eram os reprodutivos, ela deveria dar a luz a uma colônia, depois dar a luz para a guarda-real que cuidaria do Rei das Chimera Ants e depois dar a luz ao rei que lideraria a colônia. Em teoria é o que devia acontecer, e era o grande foco da rainha, para isso, todas as demais formigas começaram a coletar comida para a rainha poder dar a luz ao rei, e a comida que a Rainha mais queria eram humanos, pelo seu alto valor nutritivo.

Agora, acontece que isso tudo aconteceu em um país chamado N.G.L, um país que proíbe o uso de qualquer tecnologia, por ser uma região com uma relação muito forte com a natureza e com a paz, e por isso seus habitantes não tinham nenhum modo de se proteger das formigas e foram reduzidos em número rapidamente. Mesmo o submundo da N.G.L, que estava fortemente armado pois usava o status do país para acobertar um grande tráfico de drogas, só percebeu a ameaça das formigas quando era tarde demais, e esses traficantes armados estavam em bem menor número.

NGL

Em resumo, um país teve sua população diminuída em número muito rapidamente, e isso abriu os olhos do mundo para essa ameaça biológica gigante, e foi montado um grupo de extermínio para destruir as chimera ants, pela grande ameaça que são, e proteger a humanidade.

O protagonista do mangá, Gon, era um dos membros desse grupo de extermínio, é assim que ele se conecta com essa história toda.

GrupodeExterminio
O grupo de extermínio. Embora estejam faltando dois membros e tenha a inclusão de duas chimera ants que só vão se aliar aos humanos na reta final.

Enfim, enquanto as formigas liquidavam com os seres humanos da N.G.L, elas começavam a se mostrar cada vez mais individualistas. As formigas se dividiam entre dois grupos, os que caçavam humanos somente para alimentar a rainha e as que caçavam o suficiente para alimentar a rainha, mas depois continuava caçando pelo prazer ou para comê-los sozinho. E desse segundo grupo ainda tinham os que comiam os humanos mais saborosos sozinhos para separar os piores para a rainha. Algo sem precedentes em nenhuma colônia de chimera ants antes delas se misturarem com os humanos.

Leol
Leol, uma das formigas mais rebeldes, era famoso por pegar as melhores presas pra ele e separar as piores pra rainha.

E também foi nessa época em que elas descobrem a existência do Nen, que como sabemos é o sistema mais perfeito de super-poderes que já apareceu em um mangá. A descoberta do Nen se deu dos primeiros contatos com o grupo de extermínio do qual Gon fazia parte.

Haviam também formigas que possuíam memórias dos humanos que foram comidos pela rainha. Como se fossem reencarnações daqueles humanos. A mais leal a rainha de todas, que era o Colt tinha as memórias do primeiro menininho que fez a rainha tomar gosto por carne humana, e tenta proteger a rainha como compensação por ter falhado em proteger sua irmã. Mas nesse ponto os sentimentos de Colt são inconscientes.

Colt
Ele inclusive chama a rainha de Reina em um ato falho em certo ponto.

Um caso interessante é o de Leol, que é uma formiga híbrida de leão e humano, que herdou as memórias do Leão, que sempre foi um animal instintivo e acostumado a ser o predador apex. Agora, ele é grato a ter um lado humano para se adaptar a situação e não viver só na lei do mais forte.

Leão
“Nossos dentes e nossas garras. Eu sempre achei que fossem o centro do universo. Pois com um simples movimento, eram o suficiente para tirar a vida dos outros. E matar a fome, não havia satisfação maior. Mas não é mais assim. Tem sempre alguém mais forte, eu nunca estive no topo. E após minha morte, eu aprendi esse fato e me tornei mais forte. Aprender e se adaptar, essas são nossas armas agora.”Leol lembrando de sua vida passada.

Por ultimo temos Jairo. Que antes de virar formiga era o líder da N.G.L e cuidava do tráfico de drogas no país. Ele nasceu com memórias de ter sido um líder e sem interesse nenhum em se subordinar a uma rainha ou a uma colônia e saiu do lugar cagando para seus instintos, por isso ele não exatamente apareceu no arco.

Jairo
Antes de virar uma formiga, Jairo já não era mais considerado humano, nem pela sociedade, nem por si mesmo.

Em resumo, todas as formigas possuem um senso de formiga nato instintivo que vem com eles, com instintos como “proteger a rainha”, “cuidar da colônia”, “seguir a lei do mais forte” e tal, mas eles têm um lado humano que pode pensar a respeito desses instintos, permitindo justificá-los ou questioná-los. Os instintos ainda existem, mas agora tem um lado humano junto. Não só isso, como também experiência vindos das memórias das vítimas das formigas.

Enfim, eventualmente nasce o rei. E ele nasce violentamente, ele literalmente arrebenta a barriga da rainha para nascer, ferindo ela mortalmente no processo. Ele exige que as demais Chimera Ants alimentem ele, e mata duas dela no processo, só pois não gostou da resposta delas. Em seguida o Rei é acompanhado por sua guarda real para ir até áreas da N.G.L onde ainda não mataram geral e matar geral.

ReidasFormigas
Qualquer semelhança com Cell, não é mera coincidência.

E as formigas ficam todas com sua rainha moribunda. As formigas se dividem entre as que estão preocupadas com a rainha e querem salvá-la e entre as que estão só esperando ela morrer para sair do formigueiro e fazerem o que bem entenderem. As que pertencem ao segundo grupo fogem e a minoria que pertencia ao primeiro grupo (uma meia duzia de gato pingado), fazem uma trégua com os humanos do grupo de extermínio.

ColtTregua

Os humanos aceitam a trégua e tentam ao máximo salvar a rainha, mas não conseguem. A rainha morre ignorando o fato de que o rei matou ela sem necessidade, feliz que ele é forte e que o Rei das Formigas nasceu saudável. O papel da rainha é dar a luz ao rei e ela foi fiel ao seu instinto até o fim. A rainha diz que ela batizou o rei de Meruem, e depois que ela morre, Colt, a formiga mais leal de todas a rainha, descobre que junto de Meruem nasceu uma formiga-menina também, e jura proteger ela. Morau, um dos membros do grupo de extermínio, confirma com Colt que nem ele nem a menininha jamais vão se alimentar de humanos, e coloca os dois sob sua proteção.

ColtReinaChimera

ColtReinaHumanos
E com isso, Colt recupera suas memórias de quando era humano.

Já Meruem, acompanhado de sua guarda-real e desconectado das formigas-soldado que agora estão fazendo só o que querem, resolve atender seu maior intinto de todos, o de ser rei, o de liderar. Então ele sai da N.G.L e vai para Golto Oriental, uma nação que vive sob uma ditadura pesada liderada por esse homem: Ming Jol-Ik.

MingJolik

Meruem, se surpreende pelo fato de que Ming Jol-Ik não dominava o nen, uma vez que é uma habilidade que não se manifesta só em força e sim em talento e paixão por alguma atividade. Ele julga Ming um grande incapaz e se questiona por que ele seria o líder, mas seu guarda-real, Puff, lhe explica que humanos colocam pessoas sem aptidões em posição de liderança por parentesco ou conexões o tempo todo. Meruem percebe que é uma espécie a caminho do fracasso e decide que vai liderar os humanos também, para isso ele mata Ming e toma o poder de Golto Oriental.

CoupDetat
“Por que um lixo está se declarando um rei?” “É um fenômeno comum no mundo humano. Seres sem valor, sem sabedoria nem talento assumem posições de liderança por herança sanguínea ou contatos.” “Isso é absurdo. A liderança de um idiota só vai resultar em idiotice. Só posso concluir que isso é um habito de uma espécie idiota.”

Claro, ele mata só um sósia, o verdadeiro Ming está aposentado em sua fazenda desfrutando da boa vida e da fortuna de ditados já tem décadas. Mas isso não importa, pois ele nunca vai tentar recuperar Golto Oriental, Meruem assume completamente o país.

Ming.png

Claro que ele pretende reinar sob os humanos do planeta, em Golto Oriental ele ainda pretende comer boa parte dos humanos do país. Em especial os que dominam o nen, pois são mais saborosos.

Meruem tinha um plano para Golto Oriental, ensinar nen para todos os habitantes do país, para todos serem boa comida. E existem duas maneiras de se aprender o nen, ou com anos de prática e auto-conhecimento e estudo, ou levando uma surra de nen, mas as formigas só conhecem o segundo método, pois foi como eles aprenderam (levando uma surra de nen do grupo de extermínio). O que não é o método mais usado por manjões, pois a probabilidade de se morrer após a surra de nen é altíssima.

E por falar no grupo de extermínio. As formigas que se desconectaram da rainha e foram fazer o que queriam, levaram uma porrada deles tão forte, que eles foram pra Golto Oriental se aliar ao rei, oferecendo lealdade em troca de terem seus ferimentos tratados e de aprenderem a usar melhor suas habilidades de nen.

Curioso notar que no fim eles voltaram a se subordinar à hierarquia das formigas (o que é marca de instinto e natureza), mas fizeram isso sob um sistema de troca de favores (o que é marca do humano).

SquadLeaders
Toda a hierarquia das formigas substituída por um emprego.

Enfim, agora que as formigas estão todas reunidas em Golto Oriental, o grupo de extermínio parte para Golto Oriental, impedir que Meruem faça a seleção, o que resultaria na morte de 90% de Golto Oriental. Claro que para conseguir uma boa base e boas informações nesse país desconhecido, eles tiveram que acolher e dar asilo político a diversos aliados de Ming Jol-Ik e garantir que eles nunca paguem pelo que fizeram no país. Mas hey, humanos são seres políticos, e política é fazer vista-grossa para monstros.

Ditador
Um aliado de Ming ajudando os hunters em troca de proteção política depois que a crise passar.

Não só isso, o grupo de extermínio se aliou também a algumas formigas traidoras, como por exemplo Gon, o protagonista do mangá e membro do grupo de extermínio das chimera ants que fez uma aliança com a chimera ant Meleoron. Meleoron tem raiva do rei, pois uma das formigas que o rei matou imediatamente após nascer, havia sido seu pai adotivo na sua vida anterior como humano. E Meleoron recentemente começou a lembrar de suas memórias de humano e decidiu ajudar na morte do rei Meruem, para isso ele se alia a Gon, por sentir que Gon era o menos humano do grupo, e portanto o mais fácil de abordar. Gon também achou fácil falar com Meleoron, pois achou ele a chimera ant mais humana com quem ele já interagiu.

GonMeleoron
“Não há diferença entre nós.”

E o rei estava entediado. A seleção de humanos com nen ia começar só em dez dias, e ele estava entediadaço. Ele começou a estudar jogos de tabuleiro e desafiar os campões dos respectivos jogos de Golto Oriental, para provar sua superioridade intelectual frente aos humanos.

Meruem derrotou o campeão de Xadrez, de Go, de Shogi (o xadrez japonês) com grande facilidade imediatamente após ler as regras. Ele atribuiu seu sucesso com o fato dos seus oponentes serem todos iguais, e só precisarem ter seu ritmo quebrado para perder o jogo. Porém quando ele foi desafiar a campeã de Gungi (um jogo de tabuleiro particularmente complexo, inventado só pro mangá, e que eu adoraria que existisse de verdade, pois parece fascinante), que isso mudou. Meruem não conseguia quebrar o ritmo dela, ela era uma jogadora fantástica.

KomugiPrimeiraAparicao

O nome dessa garota é Komugi e ela se tornou uma grande influência na vida de Meruem. Ela era uma garota cega, baixinha, com o nariz constantemente escorrendo, e não tinha muitas noções sociais. Por ser cega, ela não via que o rei Meruem não era um ser humano, e o tratou como se ele fosse um mero substituto de Ming, mas isso não importava, o rei a chamou para jogar gungi e foi o que fizeram, e ela joga gungi impressionantemente bem, o rei com sua inteligência absurda, não conseguia chegar aos pés dela nunca, e pedia por diversas revanches.

Gungi.png

Komugi tinha um apego muito grande com o gungi. Afinal ela girou a vida inteira em torno desse jogo. E não tinha como ter feito o oposto. Ela era uma garota sem qualquer utilidade ou valor em qualquer coisa além de jogar gungi, e era um fardo pra sua família, até se tornar a campeã mundial. O campeão mundial de gungi ganha um bom dinheiro, e permite que ela seja provedora de sua casa e ajude seus pais a sustentar ela e seus 12 irmãos. Mas qualquer outro posto que não o de campeão mundial paga uma mixaria e ela voltaria a ser um fardo. Por conta disso ela sabe que não pode perder uma única partida oficial na vida, ou arruinará a família toda, e caso isso ocorra ela pretende se matar para facilitar a situação.

Condição bem miserável a da garota, não? Uma vida familiar de bosta, uma pobreza semi-irreversível (já que supostamente o que ela ganha devia ser considerado uma grande quantia de dinheiro se não fosse tudo pra sustentar a família), e uma deficiência que lhe causa um senso de inutilidade que permite que ela cogite o suicídio constantemente. Bom não é muito incomum para o mundo de Hunter X Hunter, onde temos entre nossos quatro protagonistas um sobrevivente de um genocídio. É um mangá onde essas bostas pipocam de tempos em tempos.

Kurapika
Kurapika não só teve os membros de sua tribo assassinados, os olhos foram arrancados e vendidos no mercado negro.

Por conta de toda sua vida, ela tem um carinho pelo jogo, pelas jogadas, pelas peças que resumem toda a vida dela. E isso chama a atenção de Meruem, que nunca se deu ao trabalho de pensar nos outros desde que nasceu. Ele tenta fazer uma aposta com Komugi para testar as emoções da garota (caso ela vencesse ela ganharia o que quisesse e caso perdesse teria que arrancar o braço), mas depois de descobrir que ela literalmente aposta a vida em toda partida, e não tem ambição nenhuma fora do gungi, ele viu como essa aposta era sem sentido.

Komugi desafiava a noção do rei de tudo que ele sabia. Ele se questionava como uma garota tão desfuncional em qualquer campo da vida poderia fazer jogadas tão belas? Gungi era um jogo que o desafiava, tinha tantas variáveis que mesmo o rei das chimera ants em sua perfeição que dominou o xadrez e o go, não podia dominar o gungi, e Meruem deu valor a isso, agora isso é importante.

Komugi era capaz de despertar o nen dela enquanto jogava gungi. Lembram lá atrás quando ele ficou surpreso que Ming conseguia liderar um país sem nen? Pois é, nen não se manifesta só em lutas, se manifesta em tudo que você põe sua alma, e Komugi podia usar o nen para pensar em novas jogadas de gungi. E Meruem viu que isso a tornava especial, tão especial quanto um ótimo artista marcial. E que Komugi tinha um talento nato que poderia passar desapercebido a sua vida inteira, por estar focado em gungi e na mesma lógica diversos outros humanos devem ter talentos tão especiais que nunca foram descobertos.

KomugiNen

Até o momento a única relação interpessoal que Meruem tinha era com sua guarda-real. Eles haviam nascidos com instruções instintivas de servir ao rei das formigas até o fim. Então Komugi foi a primeira relação que Meruem estabeleceu com outro ser vivo. Ele gostou de Komugi, e se questionou por isso. Ele que despreza tudo que é inapto, pois se considera o ser vivo mais apto do mundo, se encantou por aquela criatura frágil e patética capaz de vencê-lo no gungi.

Komugi
“Que repulsiva. Inteligência, graça, eu não consigo ver sinais de nenhuma dessas características nela. Então como é que alguém como ela, consegue criar estratégias tão belas que só podem ser consideradas o auge da lógica.”

Meruem tinha dez dias antes da seleção. Seleção essa que se sua amiga Komugi fizesse ela morreria no processo, e Meruem sabia disso. Ele passou nove dias jogando gungi com Komugi sem fazer nada além disso. E na véspera da seleção, Komugi lhe perguntou seu nome, e nessa hora Meruem começa a se questionar.

ORei
“Eu sou o rei. Mas o que eu sou? Por que eu fui trazido para esse mundo? O que eu sou? Um rei sem nome, em um castelo que eu roubei. Meus súditos estão hipnotizados e sem consciência.”

Meruem não sabia que seu nome era Meruem, ele atendia pelo seu título. “o rei”. Mas isso não passa de um título, não tem identidade nem individualidade. Ele queria saber quem era ele. Ele pergunta para sua guarda-real, mas eles não são capazes de responder. Para eles, Meruem é “o rei” e nada mais. Ele se questiona.

A guarda-real por outro lado se preocupava com Komugi. Ela roubava muito a atenção do rei, e poderia ser perigosa e desvirtuá-lo de sua missão como rei das formigas chimeras. O rei nasceu para ser o rei de todas as espécies do mundo, não para ser um cara que se tranca o dia todo no quarto jogando gungi.

Então recaptulando: todas as formigas tinham um grau de conflito entre seu lado formiga (instintos) e seu lado humano (desejos, individualidade), com graus variantes. Mas Meruem, o rei, só está desenvolvendo o seu agora. Ele está descobrindo algo além de comer gente e de ser um líder, está desenvolvendo vontades, amizades e refletindo sobre o sentido da vida. Já a guarda-real tem um instinto de proteção do rei a todo custo, que fala mais alto que qualquer coisa. Mas cada um deles pode interpretar o instinto da maneira que entender melhor. Então para Puff, por exemplo, proteger o rei implica separá-lo de Komugi que o corrompe e o afasta de seu real objetivo (reinar). Enquanto para Pitou, proteger o rei deveria se estender a proteger quem é importante pra ele, e proteger Komugi junto. São duas interpretações lógicas e válidas da mesma ordem instintiva.

HomemFormiga
O constante conflito entre homem e formiga.

Mas enfim chega o dia da seleção que é o dia do ataque direto do grupo de extermínio ao palácio de Meruem em Golto Oriental. No ataque começa com um ataque aéreo que pega bem na sala onde Meruem jogava com Komugi, e machuca a garota letalmente. O grupo de extermínio sequer cogitou que haveria uma amiga humana do rei das formigas chimera dentro do palácio. O assassino contratado que mandou o ataque aéreo vê a cena de Komugi ferida nos braços de Meruem e fica bem mal olhando o que poderia ser a primeira casualidade de um inocente em toda sua carreira, além de que ver o Meruem em um estado tão humano, preocupado com a amiga era bem diferente da descrição que haviam feito dele.

KomugiFerida
“O que podia ser visto como o ato idiota de parar e só olhar o inimigo agir, como os dois veteranos estavam fazendo, era na verdade um ato de respeito. Interromper alguém que está demonstrando tanto amor para uma única vida é a ação típica de quem não tem conhecimento o suficiente ou não sabe se portar.”

O líder do grupo de extermínio é um velho chamado Netero, que também é o líder de toda a associação Hunter, uma das organizações mais influentes do planeta. E o maior artista marcial vivo no mundo. E é com ele que Meruem deve lutar. Porém Meruem não quer lutar, pois ele vê que Netero não é alguém pra ser morto, Netero é um humano especial, como Komugi, que deve ser preservado.

Meruem e Netero se afastam do palácio para um ambiente mais propício para lutas, e lá Meruem conta sua nova perspectiva de vida para Netero. Passada a seleção, ele pretende dominar o mundo e criar uma sociedade genuinamente igualitária para os humanos viverem, onde a noção de desigualdade desaparecerá completamente. Ele aponta para Netero todos os absurdos de injustiça social que os humanos cometem e fala que tem genuino desejo de liderar a humanidade para fora disso, e que entendeu que existem os fortes no mundo para que eles protejam os fracos.

MeruemNetero
“O que estou fazendo devia ser considerado uma ajuda. Por exemplo, na sua sociedade, vocês tem uma coisa chamada fronteiras territoriais, certo? De um lado da fronteira uma criança está morrendo de fome, do outro um lixo tem absolutamente tudo e não faz nada a respeito. Isso é loucura. Eu vou destruir esse sistema, e criar um que vai ser tão igualitários, que a palavra igualdade sequer vai existir.”

Uma grande evolução para alguém que quando dominou Golto Oriental não via nos humanos mais do que gado.

Porém para Netero, racionalidade e dialogo deixaram de ser uma solução pro problema depois que dois países foram dizimados pelas formigas. Eliminar todas as formigas chimeras é necessário, e os dois não lutarem não é uma opção. Após resistir passivamente aos golpes de Netero se recusando a lutar, o velho consegue convencer Meruem a lutar lhe prometendo que caso Meruem vença, Netero lhe diria seu nome.

NeteroMeruem
“A única coisa que você pode trocar comigo… são palavras.”

Pois o grupo de extermínio estava lá quando a Rainha disse para Colt o nome do rei. Então eles sabem.

E Meruem quer saber seu nome, quer saber quem ele é, e aceita a luta. E os dois tem uma boa luta, cheio de respeito mútuo por um adversário digno, apesar disso, ela não é equilibrada e Meruem domina completamente a luta, não dando a Netero a chance de vencer. Meruem fala pra Netero que sua luta não será em vão, e que ele vai permitir que os humanos vivam em Golto Oriental e criar um metodo para selecionar quais serão comida das formigas e quais não serão. Ele elogia Netero por ser um excelente lutador enquanto ser humano, mas que o rei das chimera ants é simplesmente muito avançado, criado para ser a perfeição de todas as espécies. Mas Netero não liga para nada que Meruem tenha a dizer, ele diz para o rei o nome dele que ele prometeu, e então usa a cartada final.

NeteroMorte
“Meruem, rei das formigas, o que você não entende é que o potencial do ser humano para evolução/malícia é ilimitado.” Togashi nessa frase usou um jogo de palavras para que a palavra pudesse ser lida tanto como evolução quanto como malícia. O que reflete bem o texto e o subtexto da cartada final de Netero.

Toda a luta de Netero contra Meruem, do maior dos humanos contra a maior das formigas. E todo o jogo moral dos humanos, que vêm nas formigas monstros, e se forçam a ignorar a humanidade de Meruem e o quão mudado, pois simplesmente não é possível fazer vista grossa para suas atrocidades. Pois bem, como a carta na manga de Netero dialoga com todo esse jogo moral de não permitir que uma espécie monstruosa vença a guerra?

MiniatureRose

A carta final de Netero era uma bomba atômica. Instalada no coração dele, programada para explodir quando o coração parasse de bater. Netero dá um soco no próprio coração se matando e explodindo a bomba atômica.
Ok, não é literalmente a bomba atômica, é uma bomba ficticia chamada “rosa em miníatura” pois em vez de um cogumelo sua explosão tem o formato de uma rosa. Mas as descrições de seus danos tornam o paralelo com a bomba atômica bem preciso.MeruemQueimado.png

E o impressionante é que Meruem sobrevive. Porém sobreviver é uma mera tecnicalidade, pois seu corpo está moribundo, queimado e desfigurado da explosão. Ele é socorrido por dois membros de sua guarda-real, Puff e Yupi, que movidos pelo desejo de salvar Meruem a todo o custo, sacrificam boa parte de seus corpos para restaurar o corpo do rei e salvar sua vida.
Meruem

Mas o rei está sem memórias. Ele não lemba da luta, nem de Komugi, ele lembra somente de sua missão de liderar todas as espécies… mas ele lembra do próprio nome. Puff vê nessa perda de memória uma boa oportunidade de matar Komugi e não deixar o lado humano do rei florescer novamente.

Komugi essa que havia sido feita de refém, após ter sido curada, para melhor controlar Pitou que queria salvá-la pelo bem de Meruem. Então o grupo de extermínio tinha Komugi em suas mãos. Mas quando o grupo de extermínio vê que tem guardas-reais querendo matar Komugi eles decidem escondê-la e deixam nas mãos de uma membro do grupo chamada Palm.

PalmKomugi
Palm com Komugi.

Mas Meruem sentia que algo faltava. Ele sentia que ele delegou uma missão a Pitou (que nesse momento já havia morrido nas mãos de Gon), e que ele tinha uma batalha que ele jamais havia conseguido vencer. E ele se sentia vazio, ele tentava descobrir o que faltava, por mais que Puff e Yupi tentassem impedí-lo de lembrar de Komugi.

Mas Meruem não tinha todo o tempo do mundo. Ele estava envenenado pela radiação da bomba. E ele sabia disso. Ele podia ver que não tinha muito mais tempo de vida, pois Yupi já havia morrido da radiação a esse ponto e Puff também morreria em breve. Mas Meruem queria preencher esse vazio.

Ele encontra Welfin. Welfin é uma formiga-soldado que abandonou a rainha pouco antes dela morrer. Ele foi trabalhar pro Meruem quando a barra apertou como diversos outros, e sobreviveu a todos os ataques do grupo de extermínio. Em particular pois ele fez uma ligeira amizade com Icargo, uma formiga traidora que se aliou aos humanos. Welfin e Icargo eram amigos quando eram humanos, os dois trabalhavam no tráfico de drogas da N.G.L sob a liderança de Jairo e sabem que as formigas inimigas da N.G.L e de Jairo, mesmo que eles tenham virado formigas.

Meruem interroga Welfin, e Welfin que foi cúmplice no plano de esconder Komugi conta sobre a garota e aonde ela está, com medo de ser morto por Meruem. Após isso Meruem fala que sente o ódio que Meruem sente dele e pergunta o motivo do ódio. Welfin grita para Meruem que o único rei dele é o Jairo, e que as formigas são todas suas inimigas, e Meruem não fica puto. Ele nem liga. Ele deseja que Welfin um dia reencontre Jairo e possa viver como um ser humano, e vai pegar Komugi de volta.

MeuReiJairo
Jairo é o único que eu considero um rei. Vocês são nossos inimigos.

Meruem não liga de não ser considerado um rei. Ele não se importa mais em ser rei. Isso é irrelevante perto da vontade que ele tem de se reunir novamente com Komugi.

Segundo suas instruções ele chega até Palm, que é só quem sabe onde exatamente Komugi está escondida. Palm é parte do grupo de extermínio, mas ela foi capturada por Pitou e transformada em uma Chimera Ant como um experimento, em um processo diferente do de “ser comido pela rainha e renascer híbrido com outra espécie e suas memórias humanas”. Palm foi transformada a força para ser um soldado leal, mas suas memórias humanas eram tão fortes que impediu a sua subordinação e ela continuou membro do grupo de extermínio, mesmo sendo uma formiga agora.

Ajoelhar
Palm não suporta ver Meruem cogitar se ajoelhar.

Quando Meruem pede para Palm lhe dizer onde Komugi está ela se recusa. Ela não vai ajudar o rei das formigas, depois de todas suas atrocidades. Ela está preparada para ser torturada e para lutar, mas Meruem não tem a intenção de fazer nada disso. Pelo contrário, ele tenta se ajoelhar para implorar para Palm que lhe mostre onde Komugi está.

Mas Palm tem instintos de formiga. Mesmo do lado oposto ao de Meruem, ela sabe o que representa o rei das chimera ants, e não aguenta ver ele se ajoelhar para outra formiga. Ela pede que ele não se ajoelhe e entende o peso da ação de Meruem, como ela representa que ele não é mais “o rei.” e lhe mostra Komugi.

Komugi estava dormindo escondida após tudo o que aconteceu. Meruem acorda a sua amiga, e a chama para uma partida de Gungi, ela aceita. Meruem diz seu nome para Komugi, e pede para que ela abandone as formalidades reais para se falar com ele, e chame só pelo nome. Ele também pede para que ela não se mate caso perca, ao invés disso, jogue outra partida.

KomugiMeruem
“Komugi, os meus ultimos momentos, eu quero passar eles jogando com você.”

Após algumas partidas, ele conta para Komugi que está morrendo de envenenamento por radiação, e que se Komugi continuar perto dele por mais tempo ela pode se contaminar também, mas Komugi não tem a intenção de sair do lado da única pessoa que já se importou com ela. Ela não quer voltar pra vida dela, ela quer ficar ao lado de Meruem e jogar mais Gungi.

E ele morre nos braços dela, que logo mais se juntaria novamente a ele.

MortedeMeruem

Quanto as outras formigas… O grupo de extermínio deu um jeito delas serem classificadas oficialmente como criaturas mágicas para os sobreviventes não serem perseguidos, conforme Morau prometeu a Colt que não ia deixá-lo ser perseguido. Welfin se juntou a Bizef (humano que administrava Golto Oriental pro Ming e também administrava pro Meruem e por isso não morreu), para juntos eles irem procurar Jairo. Palm, Icargo e Meleoron continuam com o grupo de extermínio cuidando do que acontece após a batalha.

PosLuta

E tem essa formiga chamada Brovuda. Que não consegue lembrar de sua vida humana, mas que Welfin e Icargo juram que ele trabalhava para Jairo do lado deles. Brovuda resolve agora que tudo acabou, levar a formiga que tinha as memórias de Reina (a primeira menininha a ser devorada pela rainha) de volta pra mãe. A mãe reconhece sua filha mesmo com a aparência de monstro, e agradece Brovuda, e a pequena vila acolhe Brovuda para morar lá.

ReinaBrovuda
Reina e Brovuda vão ficar juntos numa vilazinha que sobreviveu na N.G.L. Acho curioso como Reina é uma das únicas que tem um visual realmente igual ao de uma formiga.

E o que podemos concluir da vida de Meruem e das chimera ants enquanto grupo? Que elas eram tão humanas quanto os humanos isso é muito claro. Mas o mangá nos ressalta uma característica humana muito forte. Que é a de dar valor para coisas que supostamente não teriam valor.

Gungi
Ah, como eu queria saber jogar Gungi.

Em outro mangá do autor Yoshihiro Togashi, chamado Yu Yu Hakusho, existe um conflito entre humanos e demônios. E um dos vilões é um ex-caçador de demônios chamado Sensui, que desistiu de matar os demônios e de considerá-los monstros, após um deles, vendo que ia morrer, faz um último pedido. Viver por somente mais um dia, para poder ver o final da novela que ele acompanhava. Sensui cedeu esse último pedido por um motivo… ele acompanhava a mesma novela. Nesse momento Sensui passou a ver os demônios da mesma maneira que ele via os humanos.

A humanidade de Meruem floresceu quando ele viu que ele gostava mais de jogar Gungi do que de ser rei. E que aquele jogo de tabuleiro sem importância era de suma importância para ele, e aquilo tinha valor. E a habilidade de fazer isso com jogos de tabuleiros ou com capítulos de novela tenham valor é algo que não existe na perspectiva de ninguém que viva na lei da selva. Só na de um humano.

MeruemGungiKomugi
Mais do que se divertir jogando. Tanto Meruem quanto Komugi viam beleza nas jogadas de Gungi, viam algo para ser admirado, algo magnífico que nós como expectadores provavelmente não vemos também, até porque mal sabemos como se joga.

Uma cena semelhante à de Yu Yu Hakusho acontece no mangá quando Morau, do grupo de extermínio luta com Leol, a formiga-leão. O poder de Leol só fica ativo por uma hora, por isso ele controla quanto tempo pode usar seu poder ouvindo seu álbum favorito no seu ipod, pois o álbum tem a duração de exatamente uma hora. Ao descobrir isso, Morau se sente desconfortável, pois ele odeia a sensação de ter que matar alguém com que ouve as mesmas músicas que ele. Porém diferente de Sensui, Morau mata Leol do mesmo jeito.

LeolIPod
O poder de Leol se manifesta na forma de um Ipod justamente por isso.

Da mesma maneira um animal nunca veria valor em uma pessoa como Komugi, é necessária a perspectiva humana de dar valor a coisas insignificantes, para dar valor a uma pessoa que a sociedade designou como insignificante. Meruem criou um laço com Komugi baseado no amor dos dois por um jogo de tabuleiro, e isso fez ele desistir de seu plano de comandar a humanidade.

Não diferente desse blog que é dedicado primariamente a dar valor a um monte de história fictícia, e ficar dissecando esse monte de história que na perspectiva mais prática não realmente importa.

Essa não é a única característica típica dos humanos mostrada no arco. Também existe a crueldade humana. As formigas cometem inúmeras atrocidades, pensando em maior praticidade para alimentar a si mesmos. Mas as formigas ficam chocadas ao aprender como a crueldade humana é algo gratuito e desfuncional imerso em sua sociedade.

Jairo2

Também em Yu Yu Hakusho, o segundo motivo pelo qual Sensui teria se aliado aos demônios, foi ao testemunhar um grupo de humanos fazendo tantas atrocidades de tortura física ao estupro com um grupo de demônios, e após isso assistido um VHS com uma montagem de diversas atrocidades que o homem é capaz de cometer ao homem, ao ponto de que Sensui viu muita mais nobreza no demônio, que só queria mesmo é ver a novela.

Um tema recorrente do autor, mas que em Hunter X Hunter conseguiu ser elaborado em um grande e ambicioso arco, que permitiu uma reflexão muito maior do que a feita em Yu Yu Hakusho.

Em Hunter X Hunter temos diversos exemplos da crueldade humana jogados causalmente durante todo o arco. Desde países como a N.G.L que usa de um discurso ambientalista para sustentar um império do tráfico de drogas; ou Golto Oriental que é básicamente uma Coreia do Norte. Até a situação familiar de Komugi. Ou a situação familiar de Welfin e Jairo, que sofriam violência de seus pais antes de se unirem e irem pro tráfico. Até a bomba atômica que foi usada para derrotar Meruem na prática, mas a própria Palm nota após ver a bomba que ela provava como os humanos não eram criaturas melhores que as formigas.

PioresqueFormigar
“Nós somos cruéis. Não somos melhores que as formigas. Pelo contrário, somos piores. A bomba, tinha veneno.”

Inclusive é curioso que a série insiste em nos lembrar de que são todos formigas, por mais que tenham formas que variam de vacas a leões a seres humanos. Nesse texto mesmo, batia um estranhamento escrever “formiga” e ilustrar com a foto de uma lagosta. Enfim, o autor fazia questão de nos lembrar que eram formigas, pois independente da aparência, a simbologia do inseto é forte. Insetos são cruéis, mais do que mamíferos. Insetos são pragmáticos, é um grupo de insetos muito bom para ilustrar a crueldade da natureza. Como Seth Brundle disse uma vez “Já ouviu falar da política dos insetos? Nem eu. Insetos não tem política. Eles são brutais. Não tem compaixão nem compromisso. Não se pode confiar em um inseto.”, o que somado com a necessidade de um senso hierárquico instintivo, torna as formigas a espécie perfeita para ser o contraponto para “mas a humanidade é ainda pior.”

Uma espécie que nasceu para fazer predação irracional. Desenvolve ego, individualidade e dizima quase completamente dois países. Porém quando seu líder descobre o valor de um jogo de tabuleiro, ele filosofa sobre qual o sentido da vida e de seguir só o próprio instinto, e ao ser morto por sua predação irracional, ele decide passar o resto da vida fazendo o que realmente fazia sentido com ele. Jogar o jogo que ele amava com a pessoa que ele amava.

Juntosnamorte
Vou ser sincero, quando o capítulo dessa página saiu eu achei que era a ultima página do mangá, de tão foda que foi. Meruem e Komugi, juntos na morte.

E agora o mundo volta a ser dos humanos. E isso é bom? Isso é o que é.

Partindo disso aí, o mangá entra prum arco falando sobre políticos corruptos, eleições, e sobre como a organização Hunter (a organização central do mangá da qual o protagonista faz parte) é falha. O mundo dos humanos está de volta ao normal.

Eleicao
Ah, nada como uma boa política para acalmar os ânimos depois de uma guerra entre espécies.

O arco do continente acabou de começar, não dá para saber direito anda para onde ele vai, mas eu confio no Togashi, que está agitando algo ainda maior e mais ambicioso do que Chimera Ants, e eu acho que ele consegue. Tenho fé no cara.

10 thoughts on “Hunter X Hunter: Chimera Ants – O que faz do ser humano um ser humano?

  1. Melhor arco de mangá Shonen da história!
    Lembro que, no começo, achei forçado o fato das formigas manterem também as memórias das vidas passadas. Contudo, esse aparente “furo de roteiro” se tornou uma grande ferramenta para criar vários dos magníficos conflitos do arco. O final é lindo, e ainda que seja quase um “Romeu e Julieta”, a preparação e a forma como o Togashi conduz tudo e trabalha todas as questões existenciais levantadas é absolutamente brilhante.

    Liked by 1 person

    1. No começo soa como desculpa mesmo. Mas foi um artifício que permitiu que as formigas fossem trabalhadas de maneira tão interessante… Todo o arco de redenção do Welfin se lembrando da sua vida humana me cativa demais. Adoro o personagem.

      Liked by 1 person

      1. Sim, o mais interessante que o Welfin é apresentado como um personagem aparentemente inútil, mas o Togashi dá um bom desenvolvimento para ele, tornando-o um personagem muito maior do que aparentava ser.

        Gostar

  2. Ótimo texto para um ótimo arco. Eu conheci as obras do Togashi através de Yu Yu Hakusho, e apesar de eu achar ele um maldito preguiçoso, eu o acho um gênio para criar histórias. Seus elementos que nos fazem refletir em meio à tensão das lutas e tramas são escrito de uma forma que poucos conseguem. Essa espera toda pelo pelo mangá só me faz achar que o próximo arco vai ser ainda melhor e ainda mais genial. Mais uma vez, parabéns pelo texto.

    Liked by 1 person

  3. netero dando seu discurso final e ae a rosa explode magnificamente com aquela musica tao tocada so que nunca tao soberbamente magnifica com a cena….so a morte de meruem e a cena das mãos e as peças de “shouji?” pra sumonar lagrimas sem fim….
    —Êxtase—… e a unica palavra que descreve minha reação a conclusão do arco…..

    Liked by 1 person

    1. Sim, o capítulo dedicado a dele deixa muito explícito que ele era uma formiga quando ele não encontrou o Gon. O Jairo morreu junto com a versão humana do Welfin e todos os capangas dele e foi renascido como formiga, assim como muitos humanos comidos por elas foram.

      Gostar

      1. Sobre isso, só vi o anime e, quando acaba a parte do Gyro no episódio, a Formiga Quimera que o matou, um centauro azul que o Kite mata depois, aparece olhando para a cadeira dele, o que me deu a impressão de que ele se alimentou da carne do Gyro e adquiriu as memórias, mais ou menos do jeito que eles mantém quando nascem, até porque aquele grupo não tava muito interessado em alimentar a Rainha. Não seria esse o caso?

        Liked by 1 person

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s