Animaniacs, por que a série deu errado no Brasil?

 

Olá. Como vão vocês?. É um prazer ter vocês no meu texto, pois hoje vou falar sobre o que é disparado meu desenho animado favorito de todos os tempos, Animaniacs, e eu também quero fazer uma aposta arriscada; como sou um homem de apostas, vou fazer meu palpite independente dos riscos, então eu vou dizer: provavelmente não é o seu.

Animaniacs

Digo, claro que todos nós que tivemos uma infância nos anos 1990 assistimos a nossa cota de Animaniacs, mas a real é que nós assistimos a nossa cota de uma porrada de desenho marcante, vimos Doug, Hey Arnold, Rugrats, Dexter’s Laboratory, Tiny Toons, Johnny Bravo, The Powerpuff Girls, Pinky and the Brain, Batman, the Animated Series, The Simpsons, dentre uma lista imensa de outros desenhos animados. Quem é Animaniacs na fila do pão, não é mesmo? Tipo, era bom, mas não chegou a ser um fenômeno no Brasil.

E é sobre isso que eu quero falar no texto de hoje. Em porque hoje nós não temos o hábito de listar Animaniacs, nas listas de melhores desenhos dos anos 1990. E isso é importante, pois nos EUA, Animaniacs foi um fenômeno da porra de grandes proporções.

YakkoWarner
Com direito a um boneco gigante do Yakko sendo realmente colocado em cima da Caixa D’água da Warner em homenagem a série.

Digamos que nos anos 1990, a Warner fez uma grande parceria com Steven Spielberg produziu cinco grandes desenhos animados para juntos revolucionarem a indústria da animação. Esses cinco foram, e nessa ordem, Tiny Toons Adventures, Animaniacs, Pinky and the Brain, Freakazoid, e Histeria!. Desses cinco, Animaniacs foi o maior sucesso disparado nos EUA, e de longe o carro-chefe que liderou todos os que vieram depois. Enquanto no Brasil se tornou o quarto maior sucesso do quinteto, e só porque Histeria! foi um fracasso de audiência. E quanto a isso, eu culpo Pokémon.

StevenFavorite
Um dos vários crossovers que rolavam entre as séries irmãs.

Sério, tentar alavancar Histeria! no ano em que Pokémon chegou ao ocidente não foi a melhor ideia do mundo, mas eles não tinham como saber disso.

E não é só isso. Animaniacs, foi um dos principais responsáveis por dar à Fox Kids, que na época exibia o desenho nos EUA, o poder pra crescer e se tornar um grande canal de desenhos nos EUA a ponto de vir pro Brasil. O desenho sozinho sustentava o canal todo. O que é justo, afinal era a segunda maior audiência televisiva pra crianças do país todo, perdendo somente pra Power Rangers.

Ssswarnersiblings
O que foi o motivo central deles terem feito uma paródia bem agressiva com os Power Rangers. O primeiro lugar era importante.

E foi também um dos primeiros fandoms online a nascer para brigar em fóruns online sobre trivialidades da série nos primórdios da internet. Sério, ainda não tinha banda-larga e já tinha nerd madrugando horas na internet pra conversar sobre Animaniacs. Isso é paixão nível fã-de-StarTrek. Esse fandom online era formado por jovens adultos que também admiravam a série. E esses fãs eram frequentemente zoados na própria série como mais um na imensa lista de vítimas de zoeira de Animaniacs.

PleasePleasePleaseGetaLifeFoundation
Os Animaniac internam todos os fãs adultos que passam horas na internet debatendo detalhes do desenho na “Fundação, Por favor, tenha uma vida.”

A série era extremamente popular entre crianças. E extremamente popular entre adultos. Hoje em dia, o Nostalgia Critic afirma que considera Animaniacs o segundo melhor desenho animado de todos os tempos, e o notavelmente menos popular, embora muito bom CR do canal Familiar Faces, afirma que Animaniacs foi o desenho que deu a ele a epifania do que é o conceito de comédia.

Critic
E eu não consigo recomendar o suficiente a homenagem que o Critic fez ao show entrevistando os roteiristas. Que grande vídeo.

Pessoalmente, eu não lembro muito de Animaniacs na minha infância, embora eu visse praticamente todo dia. Eu comecei a reassistir lá quando tinha meus 15 anos, e bem, foi uma surpresa imensa rever, pois com minhas memórias de infância eu não lembrava que o senso de humor era tão afiado. A série me deixou curioso para entender mais sobre o contexto em que foi escrito e os intertextos em seu conteúdo, o que me fez começar a ler sobre história da animação e hoje é fácil dizer que a série foi minha influência maior para levar animação a sério como levo hoje e a querer falar sobre o assunto, o que muito obviamente culminou em mim criando esse blog. E tudo começou ali, quando revi Animaniacs.

Cartman
Ei, lembram do episódio em que o Cartman vai preso, e a cadeia é dividida entre as crianças que são fãs de Animaniacs e as crianças que não são fãs de Animaniacs?

Pois bem. Apesar disso tudo, eu genuinamente não lembrava de quase nada do que havia visto na infância. Não havia sido uma série marcante pra mim, e isso é estranho, pois foi um sucesso gigante nos EUA. E eu não fui o único. Para esse post eu fiz uma pesquisa na página no facebook do Dentro da Chaminé, perguntando os desenhos que marcaram sua infância nos anos 1990, queria ver quanto tempo demoraria para Animaniacs ser mencionado. Depois de 48 clássicos da nossa memória, o 49º foi Animaniacs com um único voto na pesquisa, naturalmente ficando atrás de seus irmãos Pinky and the Brain, Freakazoid e Tiny Toons. O que não me surpreendeu nem um pouco.

Sseya
E eu quero agradecer a todos os que responderam e me ajudaram a conferir se eu não estava louco e se de fato é um desenho que simplesmente não teve peso nas nossas vidas. Enfim, segundo essa pesquisa os desenhos que estão no extremo oposto, ou seja: tiveram o maior peso pra nós foram Dragon Ball e Saint Seya, e eu já tenho três textos sobre Dragon Ball, em agradecimento a vocês posso dizer que em breve vai sair um texto sobre Saint Seya. (o que até já tinham pedido nos comentários). Não vai ser o próximo texto, mas vai ser em breve.

Afinal, o almanaque dos anos 90 não menciona Animaniacs como um dos desenhos animados que foram parte da década exceto como uma nota pequena pra traçar onde o sucesso The Pinky and the Brian começou.

Almanaque
Este aqui. Este poço de nostalgia que não considerou que Animaniacs era nostálgico o suficiente pra valer a menção própria.

Isso de um desenho que nos EUA perdia somente pra Power Rangers (que não é nem animado). Pois bem, eu fui ver se era só um caso isolado, comparando com a França, e não só o desenho é bem lembrado por adultos notálgicos lá, como é exibido até hoje!! O fandom de língua espanhola da série se mostra igualmente forte na internet com uma Wikia Latina de Animaniacs que é mais forte que a wikia norte-americana, então soa como um fenômeno nosso. A série simplesmente não decolou aqui como decolou em outros países.

Enquanto isso nos EUA, os dubladores de Animaniacs literalmente deram um show só cantando as músicas do desenho, nesse dia 17 de Abril, agora pouco, e cantaram para uma casa cheia e tiveram ingressos não só esgotados, como foram obrigados a marcar um segundo show por pressão dos fãs.

AnimaniacsLive

Enfim, esse post é dedicado a uma análise minha sobre porque Animaniacs Live não vai vir pro Brasil nunca, e tampouco será imitado pelos dubladores nacionais. E vou jogar logo as cartas na mesa, eu jogo boa parte da culpa na dublagem. O resto da culpa eu jogo no fato de que Animaniacs é possivelmente um dos desenhos mais difíceis de adaptar para uma língua que não a língua inglesa. O que não muda o fato de que nós fracassamos em fazer a transição do inglês e o pessoal que traduziu pro espanhol não cometeu o mesmo fracasso que nós. 

O problema não está literalmente no trabalho de voz dos atores, esse eu achei bem satisfatório. Refiro-me a todo o serviço de tradução e adaptação que ficou responsável por adaptar a série para o público brasileiro.

Agora você me diz. “O quê? Mas isso não é possível. Nós temos a melhor dublagem do mundo. Nós fizemos Yu Yu Hakusho ser melhor que a versão japonesa. A maioria dos desenhos soam melhores dublados em português pois nossa dublagem é excelente.” E pois é… não nesse caso. Mas deixe-me ir por partes.

Afinal ainda não falei nada sobre a série e o que fez ela ser grande ainda. Só listei o quanto ela foi influente.

Então vamos lá. Animaniacs foi um desenho que estreou em 1993, produzido por Steven Spielberg, e pensado como um melhoramento de Tiny Toon Adventures, que foi transmitido de 1990 até 1993 até ter sua produção interrompida para os roteiristas e animadores poderem dar mais foco à Animaniacs.

TinyToon

O desenho era essencialmente um desenho de variedades, onde episódios com histórias podiam intercalar sketches, números musicais ou umas piadinhas curtinhas. Os episódios maiores podiam ser preenchidos com um dentre 10 “núcleos” que o show tinha a oferecer, e não existia nenhuma regra quanto a tempo ou distribuição. Você podia ter extremos como um episódio inteiro só com uma aventura da Slappy, ou então um misto de várias piadinhas curtas sem um episódio propriamente. Não havia regras.

PlayofPlay
E eles tinham um elenco bem variado para poder fazer isso.

O desenho era anárquico. Eles não eram realisticamente violentos (só cartunescamente violentos), e nem tentavam fazer piadas racistas ou homofóbicas. Mas eles tentavam constantemente explorar o limite do humor que eles podiam fazer. Às vezes não funcionava, eles tiveram suas piadas de sexo que não puderam ir ao ar (e tiveram as que puderam). Eles parodiavam celebridades, figuras políticas reais e contemporâneas, e a própria noção de ter que seguir um padrão.

Censors
Naturalmente um dos antagonistas recorrentes em todos os núcleos do show eram: os críticos da televisão que pregavam conteúdo saudável e bons exemplos para as crianças.

Aliás, piadas de sexo eram uma coisa que apareciam o tempo todo lá. Sendo muito sincero a maioria não era nem boa, mas essa não era a real piada, a real piada é “fizemos uma piadinha infame de sexo e nos safamos” com um orgulho de criança travessa que não levou bronca.

Prince
Embora essa tenha sido muito boa.

Teve um episódio chamado Animaniacs Stew que girou em torno dos personagens aparecendo em núcleos que não eram os seus só para testar como eles funcionavam fora de sua zona de conforto.

Stew

Em outro episódio, um quadro de Mindy and Buttons passado em Paris foi feito todo em francês para explicitar como os diálogos no episódio eram meros acessórios e meras fórmulas irrelevantes, já que o episódio, centrado em humor visual com diálogos repetitivos só pra firmar contexto pras gags.

LeBoutonetlesBallons

Eles podiam zoar algo contemporâneo, como refazer o clipe da Macarena, ou recriar Gunga Din, um poema de Rudyard Kipling de 1892, não existia território obscuro demais pra eles, e não existiam regras. Mais que isso, havia um desejo imenso pela ausência de sentido e de desejo pelo aleatório.

O humor era construído em diversas camadas. Três pessoas podiam ver o segmento que satriza Gunga Din e ver três piadas coexistindo e cada uma rir de uma. Uma criança poderia rir do humor visual e cartunesco, e das rimas criativas. Seu irmão mais velho poderia rir das piadas sexuais e o pai poderia reconhecer a referência ao Kipling.

Animaniacs funciona em diversos níveis, pois possui várias camadas de intertexto. Praticamente todo episódio de Animaniacs, pode ter seu humor potencializado se você estiver familiarizado com o assunto que eles estão zoando e assim entender a zoeira. Mas se você não tiver esse conteúdo, o episódio ainda oferece bom humor só nos trocadilhos e slapstick. Então ele fica progressivamente mais engraçado quanto mais informação você tem.

Peguem o clássico episódio em que os Irmãos Warner e Irmã Warner vão encher o saco do Michelangelo enquanto ele pinta a Capela Sistina. Pois bem, ele é engraçado por default, pois são os três zoando um pintor que só quer fazer o trabalho dele. Se a criança souber sobre Michelangelo e a Capela Sistina mais camadas de humor surgem das referências de época. Agora, o episódio já está engraçado assim, mas se o expectador souber que o Michelangelo tem a aparência, voz e maneirismos do amado ator Kirk Douglas, e é na verdade uma grande sátira do ator, aí o episódio ganha mais uma perspectiva que lhe permite ser engraçado. Não tem nenhum motivo para o Michelangelo ser o Kirk Douglas, é meramente aleatório, mas é bom.

Michelangelo
E não para por aí. Aqui uma lista completa de referências que esse episódio possuía para agregar valor a ele:

E usar a dublagem para homenagear os figurões dos Estados Unidos era algo que Animaniacs fazia constantemente. Para fins de exemplo a dublagem do Wakko era uma simulação do jeito de falar do Ringo Starr, o Runt era o Dustin Hoffman, o Bobby era o Robert De Niro e no melhor exemplo existente, o Brain (Cérebro na nossa tradução) era um Orson Welles tão convincente, mas tão convincente, que um ano depois de Animaniacs estrear, o Tim Burton fez esse filme chamado Ed Wood, onde em uma cena aparecia o Orson Welles, e o dublador do Brain foi chamado para dublar a fala do ator que interpretaria o Orson Welles, para fins de perfeição técnica.

OrsonWelles
Esse cara não dublou o Brain, ele foi dublado pelo mesmo dublador que o Brain, o gênio da dublagem Maurice LeMarche.

Os estilos de piadas também eram variados. Eles não apostavam só em um ponto. Tínhamos referências, trocadilhos, splapstick, o tempo todo tínhamos uma piada que podia não ter nada a ver com o senso de humor da piada anterior, em uma fórmula que exige que eventualmente uma piada te conquiste, afinal estavam atirando pra todo lado.

Formando esse fenômeno em que diversos fãs de Animaniacs podem ser fãs de diversas facetas de Animaniacs, pois o formato da série permite isso. E por que eu estou enfatizando isso? Porque na versão brasileira, Animaniacs tinha a sua faceta mais superficial, maluquices dos personagens, humor físico direto e humor visual. Trocadilhos não eram substituídos com trocadilhos que funcionavam nem com os que não funcionavam, eram só deixados de lado. Tudo o que precisasse de conhecimento prévio para ser engraçado não era adaptado, ficávamos só com o básico.

O que não era exatamente ruim, assim como acho que nenhum de nós acha que Animaniacs era ruim, mas não exatamente faz com que a série se destaque de seu irmão mais velho Tiny Toons Adventures ou de seu primo distante Taz-Mania. Três irmãos zoeiros sacaneando uma galera e só.

Anvil
Gosto de bigornas tanto quanto todo mundo, mas os outros desenhos da emissora todos tinham bigornas e Animaniacs tinha um diferencial enorme para todos os outros. Que foi justamente o que deu o topo ao desenho.

Eu me pergunto o que acontecia, se a equipe de tradução genuinamente não entendia as referências, pois eu não imagino o que justifica alguém ver um trenó de madeira abandonado na neve com os dizeres “Rosebud” e achar que é necessário traduzir o nome do trenó pra “Botão de Rosa”. Qualquer membro da audiência capaz de entender o que significa ter essa palavra escrita em um trenó só vai entendê-la se for Rosebud, sem alterações. Tenho certeza de que na versão dublada de Citizen Kane não aparece menção nenhuma a um Botão de Rosa.

Mas enfim, estamos falando de uma adaptação que não conseguiu pensar em nenhum trocadilho bom entre “Anestesia” e “Anastásia”. Sim, tem um episódio em que eles trocam os termos e na versão nacional eles simplesmente não adaptam a confusão.

Anastasia
No original, logo após fazer Anastásia nocautear Rasputin (e sete anos antes do filme da Anastásia),  Dot olha pra tela e fala “É uma piada obscura, converse com seus pais.” mas na versão brasileira ela fala “É brincadeirinha, não leve em consideração.” Explicitando como a versão brasileira não tinha a intenção de ter esse “humor adicional pros pais” no desenho. Naturalmente todos os outros países pesquisados mantiveram tanto o trocadilho quanto o comentário iguais ao original.

Então retomando o exemplo de Michelangelo, é muito obvio que em português, não foi feito nada para que o Michelangelo fosse também uma sátira ao Kirk Douglas. Obviamente não era fácil fazer em português ele ser parecido com Kirk Douglas, e obviamente não era uma piada que prejudicasse o episódio se fosse perdida, então a adaptação sumiu com essa parte do episódio. E o que eu digo quanto a isso? Não que foram canalhas, mas que tomaram o caminho mais fácil, e isso tirou do episódio uma das marcas do desenho.

E bem, não preciso dizer que não foi só o Kirk Douglas, como que o Ringo Starr, o Dustin Hoffman, o Robert DeNiro e o Orson Welles também não se viam presentes. Agora é óbvio que isso era um desafio enorme na dublagem. Mas devo dizer que até onde eu vejo a situação eles tinham no mínimo três opções. a-) Tentar emular alguma referência que nós brasileiros tenhamos dessas personalidades, como jargões ou vozes padronizadas. Tipo, o Robert DeNiro tem um dublador oficial para qualquer filme que ele faça ele ser dublado pelo mesmo cara. Então ele tem uma “voz brasileira” oficial. b-) Tentar colocar em personagens, vozes de imitação que o público brasileiro ache reconhecível para esse estilo de humor que marca o desenho estar disponível na nossa versão, mesmo que com outras celebridades. c-) fazer absolutamente nada e fazer vozes normais e sem maneirismos para os personagens.

Eles escolheram a opção c.

Bojack
“Eu fiz o meu melhor.” “Não, você fez do jeito mais fácil.”

A versão brasileira tinha uma grande predileção em focar no aspecto “vai rolar bagunça” do desenho do que na sua anarquia. Podem parecer sinônimos mas não são, bagunça é bagunça, é engraçado, mas morre em si mesma, são coisas que ficam na Ilha da Bobeira na mente de Riley. Anarquia é o aleatório, é a noção de que não tem nada estranho ou aleatório o suficiente pra não merecer entrar no show, até, é claro, esse estranho ser retirado do show pela versão brasileira essencialmente não merecendo mais entrar no show.

Vamos falar por exemplo das piadas de sexo. Ao fim de cada comentário de duplo sentido, e olha que eu acho que tinha um por episódio, o Yakko olharia para a câmera e diria “boa noite, pessoal”, para indicar que acabou de rolar uma piada de duplo sentido. (Algumas inclusive só ganham um segundo sentido óbvio por causa do comentário de Yakko). Em português quase nenhum desses comentários é de duplo sentido, fazendo o “boa noite, pessoal” soar como uma bobeira que Yakko solta de maneira aleatória. Em um dos exemplos mais clássicos, o sotaque de Beethoven faz com que esse ao se declarar um pianista, ou “pianist” faça a palavra soar parecida com “penist”, e isso gera um “boa noite pessoal”. Enquanto na versão brasileira ele fala “pianista” de maneira bem eloquente impedindo a confusão e removendo uma piada da cena sem colocar outra no lugar. Na versão espanhola, o comentário de Yakko vem logo após Beethoven dizer a palavra “circulo”, por conta do “culo” que é “cu” em espanhol. É um esforço que nós não fizemos, pois escolhemos não fazer ao trazer a série ao Brasil.

YakkoBeethoven
O que torna estranho Yakko constantemente chamar Beethoven de boca suja.

Vamos falar por exemplo de como a abertura foi traduzida. A primeira impressão que todo mundo vai ter da série independente de por qual episódio comece, e algo que todo mundo vai ver todo episódio, vamos ver o que pode-se notar nela. Pois bem, seguindo a tradição de todos os desenhos da Warner na época, a abertura é extremamente expositiva e quer te apresentar ao que você está prestes a ver.

Então temos esse trecho em que se traduziria literalmente para: “É Animaniacs. Dot é linda e o Yakko manda. Wakko come as guloseimas e o Bill Clinton toca o sax. É Animaniacs.” Em uma tacada só, introduzem quem são os três personagens principais, e um elemento aleatório envolvendo o então presidente dos Estados Unidos. Pois bem. Antes de vermos como o Brasil resolveu lidar, vamos ver como a França resolveu, pra fins de comparação. “Os Animaniacs. Dot é encantadora e o Yakko explode. Wakko é super-voraz, e o Bill Clinton toca sax, nos Animaniacs.”, é como se traduziria literalmente a letra da versão francesa. Para a versão italiana ficaria “Somos os Animaniacs, Dot é doce e o Yakko um falador. Wakko come a vontade enquanto Clinton toca sax, somos os Animaniacs.” e por fim a versão em espanhol. “Somos Animaniacs, Dot é linda e o Yakko não. Wakko é um comilão quando escuta o saxofone, somos Animaniacs.

Pois bem, várias mudanças passíveis de interpretação. Cada versão descreve Yakko de um jeito diferente. Metade das versões usa o “somos Animaniacs” como se Animaniacs fosse o nome coletivo de Yakko, Wakko e Dot, e não o nome do show, e a versão em espanhol omite a figura do Bill Clinton, enquanto a versão italiana e francesa mantiveram o presidente. Mas no geral as quatro estão em consenso de que nesse trecho os personagens devem ser apresentados.

Se vermos a versão brasileira em que ficou “Somos os Animaniacs, muita graça e gozação, apetite de avestruz e muita diversão, somos os Animaniacs.” vemos que a versão brasileira não se deu ao trabalho de introduzir os personagens. Só soltou adjetivos. É fácil ficar frustrado com a omissão do Bill Clinton que é uma das partes aleatórias que dão a cara da série, mas eles omitiram mais que isso, omitiram o espírito da abertura, que é uma abertura que segue a fórmula de sair falando o nome dos personagens. É um desenho de comédia, sabemos que vai ter gozação e diversão, a informação contida aqui é redundante.

Ah, mas aí você me fala “foda-se, não é como se uma criança brasileira tivesse a obrigação de saber quem é Bill Clinton. Tem mais é que tirar da abertura.” e bom, dependendo da idade, nem uma criança americana. E as crianças americanas certamente não tem a obrigação de conhecer Rasputin ou Saddam Hussein ou metade do pessoal que aparece na série. Mas a série coloca esses detalhes para aumentar o público, não pra restringir as informações a só o que um único público entende. Tenho certeza de que muitos pais de crianças no Brasil conheciam a figura do Presidente dos Estados Unidos. 

BillClinton
Afinal não é como se ele não fosse aparecer em pessoa na série e fazer uma piada sobre seu escândalo.

Enfim. Mas não é como se imediatamente depois a abertura fosse errar explicitamente a espécie dos personagens, se referindo a Slappy (uma esquilo) dando um tapão nos Goodfeathers (três pombos) como uma briga entre gata e galinhas.

E imediatamente depois, eles chama Rita e Runt, que não são um casal, de “um casal muito feliz.”, eu não sei se o responsável por traduzir a abertura era o responsável por traduzir tudo na série, mas é evidente que ele não queria se dar ao trabalho de saber o mínimo sobre a série, e ele nem precisava, precisava só dizer o nome da galera, mas fez questão de ao invés disso descrevê-los como coisas que eles não são. E isso é um mal sinal sempre. 

Fechando sobre a abertura, a abertura termina cada episódio com uma frase diferente em algo no mesmo estilo que a piada do sofá dos Simpsons, e novamente pra beirar o aleatório e o non-sense. Na abertura nacional a última frase em todos os episódios foi “Seus bichinhos”, enquanto no inglês podia variar entre Penny Lane ou Citizen Kane, Shirley MacLane, No Pain no Gain, entre mil variáveis ( Alias, aqui um vídeo com alguns dos finais alternativos que a série já teve em sua abertura.). Não é uma questão de “mas essa exata piada era intraduzível”, é o fato de que eles nem tentaram. Todos os outros países tentaram, e podem ter suas particulares divergências com o original, e podem ter ou não criticas, mas eles pararam e tentaram entender qual era o espirito de humor do que eles estavam traduzindo antes de seguir adiante.

Menos aqui. Pra quê? É tipo editar a abertura dos Simpsons pra nunca ter piada do Sofá.

CouchGag

Enfim, não foi só o elemento non-sense que Animaniacs perdeu, tendo suas referências aleatórias removidas de seus diálogos. Eles também perderam seu senso transgressor, em prol de uma visão mais “bonitinha deles.”

Me refiro não só aos adjetivos “animados” e “completamente loucos” terem sido substituídos por “seu amigos” e “seus amores” respectivamente na abertura. Temos por exemplo a “Canção do Universo”, onde Yakko Warner em uma homenagem a Monty Phyton canta uma música explicando o quão grande é nosso universo e como somos insignificantes perto deles. Pois bem, a versão brasileira encerra com um verso sobre o quanto apesar de sermos pequenos temos a responsabilidade de cuidar e proteger o planeta Terra. Uma mensagem ambientalista.

O problema? Bom, não só a música original não tem a mensagem ambientalista, como a série em si, sempre se opôs completamente a passar morais e mensagens em sua comédia, e parodiou isso diretamente. Eles NUNCA terminariam um episódio falando “cuidem melhor do planeta”, isso é o oposto da causa pela qual eles lutam.

WheelofMorality

VerySpecialEpisode
Isso pode se manifestar tanto neles tirando a moral da história na roleta, como num episódio inteiro deles na praia só criticando desenhos animados com morais ambientalistas politicamente corretas.

Sem contar que conforme já mencionei, no Brasil as piadas deles não tem duplo sentido. Então eles são de fato mais bonzinhos. A verdade é: se a nossa versão dos Animaniacs passasse nos EUA, os Animaniacs originais iriam dedicar um episódio inteiro só falando pras crianças como a nossa versão é um desenho mongolão.

Baloney
Tal como fizeram com o Barney.
Handshake
Enquanto de um desenho-irmão eles apertam a mão e enfatizam respeito.

Os Animaniacs faziam zombaria de desenhos que falam pra crianças não usarem drogas. Faziam zombaria da necessidade de se ter uma “moral da história” no final. Fizeram uma ode de amor aos químicos que existem nos doces que as crianças comem. E transformavam executivos que queriam ter valores de qualidade transmitidos a crianças em vilões ridículos. Então como que a nossa dublagem enfia uma moral em um lugar onde não tem? Isso é algo que eles nunca fariam.

E isso era comum na versão brasileira, mas tem mais.

Embora Animaniacs se recusasse a passar bons valores em suas morais, eles tinham um lado pseudo-educativo de tentar passar informações como “quem foram os presidentes dos EUA.” ou “Quais são os Estados e as Capitais”. O dos presidentes inclusive teve que ser alterado em um verso polêmico que sugeria que Hillary Clinton era co-presidente de Bill Clinton e não a primeira-dama. Enfim desse tipo de listas, a disparada mais famosa é a que Yakko Warner lista todos os países do mundo no ritmo do chapéu mexicano (spoiler: não são realmente todos os países do mundo, rolaram licenças poéticas).

YakkosWorld

Porque a lista de nações do mundo ficou a mais famosa? Simples, porque é foda. O cara canta 162 países, devidamente organizados por continente e canta rápido. É uma performance vocal de respeito. Tanto que até hoje pessoas param o dublador do Yakko em qualquer entrevista para perguntar se ele consegue mesmo reproduzir esse feito ao vivo (e ele sempre consegue). No show que teve nesse dia 17, foi divulgado que rolaria uma apresentação da lista de países agora corrigida para serem de fato todos os países do mundo. Se rolou mesmo não sei, pois não tem nada no youtube. Mas enfim foi um grande feito de um grande dublador que todo mundo achou foda.

RobPaulsen
O Dublador de Yakko, Rob Paulsen.

No Brasil foi foda também? Er… então. Pularam vários países por diversos motivos. Alguns países como o Chile foram pulados para ganharmos tempo de falar “nosso Brasil” ao invés de só Brasil. Patriotismo importa, crianças. Outros países foram pulados para fazer graça, quando Yakko chega na Africa e pula uns cinco países trocando a menção a eles por “um monte de nomes estranhos.”, o que é repetido no verso final onde uns três países têm suas menções substituídas por “e todos países que tem amigos.”. O Canadá é pulado por absolutamente motivo algum, já que cabia perfeitamente na métrica mencioná-lo.

E é por isso que o dublador brasileiro do Yakko não vai ter um espaço reservado na próxima Comic-Con Experience só pra cantar essa música pela enésima vez. Na de San Diego super vai ter o Rob Paulsen.

Enfim, Animaniacs tinha uma faceta engraçada. Uma faceta aleatória e anárquica que inseria tudo o que pudesse no show e apelava pra grandes referências. Tinha uma faceta de pisar em qualquer noção educativa e tinha uma faceta de tentar parar por cinco minutos para fazer uma coisa foda. Mas no Brasil a série tinha só sua faceta engraçada.

E não me levem a mal, a faceta engraçada ficou bem engraçada. Eu assisti o único DVD que saiu da série inteiro antes de fazer esse post, e tipo, eu ri como eu ria com a série em inglês… Mas soou incompleto. Não basta só rir, podíamos rir em outros programas. Animaniacs era envolvente, te fazia se questionar como eles conseguiam se safar passando o que eles passavam na televisão, te fazia ter vontade de saber mais sobre o que eles falavam, te fazia se perguntar a quantos processos eles não respondiam e realmente conseguia surpreender seu público a todo novo episódio com coisas diferentes do que podia se achar nos outros desenhos da época, e honestamente até nos desenhos de hoje. Que ainda prestam respeito a Animaniacs quando podem.

Ditto
Ditto é um alien de Ben 10 explicitamente inspirado nos Animaniacs, inclusive sendo dublado pelo mesmo dublador do Yakko.

Animaniacs foi um sucesso tão grande que conseguiu pegar seu segundo bloco mais popular e dar a ele seu próprio desenho, com The Pinky and the Brain, que foi um sucesso internacional. Mas eventualmente o último projeto da Warner Histeria! Acabou sendo um fracasso comercial tão grande que foi necessário parar a produção de Animaniacs, pois a Warner perdeu dinheiro demais pra continuar mantendo as outras séries no ar. Mas eles saíram com estilo, descolando três Series Finale, uma montagem de cenas de episódios anteriores em uma grande versão orquestrada de sua abertura; um longa-metragem; e uma paródia de Star Wars que era na verdade o Series Finale de The Pinky and the Brain, mas eles colocaram o elenco inteiro de Animaniacs nos lembrando bem de que eles sabem de onde aqueles personagens vieram.

StarWarners

Nos EUA você pode encontrar tudo sobre Animaniacs em DVD, no Netflix que tem a série completa, ou na televisão pois a série ainda recebe ocasionais reprises até hoje. Enquanto que no Brasil só os primeiros 25 episódios (de 99) saíram em DVD e com um baixo índice de vendas. O que tem da série em português é particularmente bem difícil de se achar na internet, e é um desenho que em seu país de origem está, 18 anos após seu cancelamento, mostrando que não envelheceu um dia sequer e seguindo sendo influente na indústria. No Brasil já essencialmente caiu no esquecimento.

TodoDiaumDesenhoqueNinguemLembraoNome

Anúncios

8 thoughts on “Animaniacs, por que a série deu errado no Brasil?

  1. Cara,eu adorava esse desenho,lembro dele ate hoje,tanto que em cima da minha prateleira do PC tem inúmeros boneco e dentre eles tem os 3 bonequinhos deles,e cara,você não acha que “O Incrível mundo de Gumball” não vai na mesma onda de Animaniacs não?mesmo que ele não seja tão influente ou genial como ele,acho que ele vai muito bem nessa pegada de humor ácido e parodias…

    Liked by 1 person

    1. Acho sim. Acho que dos desenhos atuais Gumball é o mais parecido com Animaniacs em estilo e principalmente nessa vibe de que “vale tudo”. E um dos humores mais ácidos do Cartoon Network.

      Gostar

  2. A única coisa que eu lembro de animaniacs dublado é do especial de Natal, eu lembro de ter chorado nele …? :v
    Mas vez ou outra vejo clips em inglês e me pego rindo muito, o desenho envelheceu bem

    Liked by 1 person

  3. Quando pequeno eu sempre tentava pegar algum horário que estivesse passando, mas nunca conseguia. Tenho vontade de assistir mas com a dublagem original. Você sabe de algum lugar onde tenha os episódios legendados? Se não for possível encontrar legendado, pode ser sem legenda mesmo, eu só tenho preguiça de prestar uma atenção a mais pra entender inglês. Obrigado.

    Liked by 1 person

    1. Se você tiver os meios de entrar no Netflix de outros países, tem no Netflix americano completo… de resto existem torrents da série completa. Eu pessoalmente peguei tudo pelo torrent na primeira vez que comecei a assistir. Vai no seu site favorito, procura por “Animaniacs Complete” ou “Animaniacs All 100 Episodes” que funciona.

      No mundo do streaming: você encontra episódios completos no Dailymotion, mas meio que procurando um por um e não tem todos os episódios. Youtube não, porque a Warner caça. Tem um canal no youtube que é cheio de episódios, mas são com alguém filmando a televisão em um ângulo estranho pros robôs do google não conseguirem tirar do ar. Mas o youtube tem alguns sketchs e músicas em boa qualidade e sem problemas, só os episódios completos que vai ser difícil.

      Legendado é difícil, pois nenhum fansub nunca se deu ao trabalho de legendar.

      Gostar

      1. Obrigado pelas informações, vou procurar aqui. Achei muito boa sua review, ela me fez pensar, que a dublagem realmente faz diferença. Freakazoid por exemplo, eu acho a dublagem BR incrível.

        Liked by 1 person

  4. Estava esses dias me perguntando sobre esse desenho KKKKKKK de fato foi um dos meus preferidos, mas não conseguia me lembrar do nome de jeito nenhum. E olha que eu cheguei a assistir em ingles e espanhol mais de uma vez.

    Apesar de tudo, ele continua vivo nos corações de quem foi marcado por esse show de comédia e genialidade.

    Liked by 1 person

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s